Aveiro, 15 mar 2019 (Ecclesia) – A Cáritas de Aveiro assinala a ‘Semana Cáritas 2019’, a partir deste domingo, na qual vai receber a iniciativa nacional ‘Mala da Partilha’ e dinamizar o peditório público.

“Esta realização tem como principal finalidade a sensibilização das pessoas para a problemática das desigualdades sociais com a existência duma percentagem muito significativa (cerca de 25%) de cidadãos portugueses que vivem abaixo do limiar da pobreza”, assinala a organização católica, convidando “à partilha fraterna para ajudar a minimizar as carências”.

‘Juntos numa só família humana’ é o tema da Semana Nacional Cáritas 2019, que começa este domingo, 17 de março, e termina dia 24, com a celebração do Dia Cáritas nas 20 dioceses católicas portuguesas.

Entre 21 e 24 de março é realizado um peditório público para a organização sociocaritativa da Igreja Católica em Portugal.

A Cáritas Diocesana de Aveiro informa inda que os ofertórios do 3.º domingo da Quaresma são destinados à ação social esta instituição, como definido pela Conferência Episcopal; das verbas recolhidas “70% são entregues à Cáritas Diocesana e 30% destinam-se aos Grupos locais” – Cáritas, Vicentinos, entre outros.

“O dinheiro entregue à Cáritas Diocesana será aplicado no apoio às pessoas de toda a Diocese, no âmbito do Fundo Diocesano de Emergência Social”, informa a Cáritas de Aveiro, no sítio online da diocese.

A partir deste domingo, início da Semana Cáritas, a Diocese de Aveiro recebe a ‘Mala da Partilha’ que vai ser apresentada na Eucaristia das 19h00, do dia 23, na igreja Matriz de São Pedro de Aradas.

Esta iniciativa nacional surgiu da proposta do Papa Francisco ‘Partilhar a viagem’ é da responsabilidade do Secretariado Diocesano da Pastoral SócioCaritativa e fica em Aveiro até ao final do mês de março.

A ‘Mala da Partilha’ que está a percorrer Portugal convida os migrantes e refugiados a escrever uma carta com a sua história de vida e, no final do projeto, alguns textos vão ser selecionados pela Cáritas Portuguesa para publicação em livro, desde que autorizados pelos autores, e as cartas vão ser entregues à Cáritas Internacional.

CB/OC

 

Partilhar:
Share