Movimento a favor das vítimas da opressão do regime de Jorge Videla em 1977 «mostrou o caminho a seguir», salienta Francisco 

Cidade do Vaticano, 02 mai 2018 (Ecclesia) – O Papa assinalou o 41.º aniversário da associação ‘Mães da Praça de Maio’, formada por mães que protestaram contra o desaparecimento dos filhos durante a ditadura militar argentina (1976-1983).

Numa mensagem áudio, publicada hoje pelo serviço informativo da Santa Sé, Francisco dirige-se a Ana Maria Careaga, filha da fundadora da associação, Esther Ballestrino de Careaga, para destacar um movimento que “mostrou o caminho a seguir”, numa época marcada pela repressão e violência.

Formada em bioquímica, Esther era a encarregada do laboratório onde o agora Papa, Jorge Mario Bergoglio, trabalhou na sua juventude.

“Eu lembro-me bem da tua mãe. Ela trabalhou muito, ela era uma lutadora e lutou pela justiça com muitas outras mulheres que tinham perdido os seus filhos ou com outras mães que, vendo o drama de tantos jovens desaparecidos, se quiseram juntar a esta causa”, realça o Papa argentino.

A associação ‘Mães da Praça de Maio’ deve o seu nome a uma das mais icónicas praças de Buenos Aires, na Argentina, onde a 30 de abril de 1977, em plena ditadura argentina, 14 mulheres protestaram diante da sede do governo contra o regime de Jorge Rafael Videla e a violação dos direitos humanos que estava em marcha no país.

Um regime que não tolerava oposição e que por isso perseguia todos os dissidentes, estimando-se que mais de 30 mil pessoas tenham desaparecido durante o período em que esteve à frente da nação sul-americana, entre 1976 e 1981.

Desde então, a associação ‘Mães da Praça de Maio’, tem continuado a empenhar-se na defesa da justiça e da dignidade humana na Argentina, e ao mesmo tempo pelo reconhecimento da memória de todas as vítimas da ditadura.

Um esforço destacado pelo Papa que garante que irá continuar a “rezar por todas as mães, por todos os homens e mulheres de boa vontade que em conjunto procuram abrir espaço a um caminho de justiça e de fraternidade”.

A mensagem de Francisco foi difundida através do programa de rádio ‘Agora e Sempre’, da Rádio Caput em Buenos Aires, um projeto ligado às ‘Mães da Praça de Maio’ e cuja emissão é atualmente conduzida por Ana Maria Careaga.

“Fico contente que estejas a seguir os passos da tua mãe e a dar a conhecer a outros o vosso programa”, completa o Papa argentino.

JCP

Partilhar:
Share