Armando Jorge de Oliveira, responsável pelo organismo a nível nacional, destaca uma profissão que tem vindo a ser «posta em causa»

Fátima, 16 fev 2018 (Ecclesia) – O Apostolado do Mar, responsável na Igreja Católica em Portugal pelo trabalho pastoral junto dos pescadores e suas famílias, está a promover este sábado e domingo o seu retiro anual em Fátima.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o responsável por este setor, Armando Jorge de Oliveira, destacou “um momento muito importante” no calendário das atividades do Apostolado do Mar, a nível nacional, “porque é aqui, nestes momentos, que os homens do mar vêm avivar mais a sua fé” e assim retemperar forças para enfrentar os desafios que têm.

“E dialogar com outras praias, saber as dificuldades deles e aprender”, porque “hoje em dia, a vida da pesca está a ser um bocadinho posta em causa, tanto ao nível das leis como ao nível do pescado”, assinalou aquele responsável.

O encontro, que conta com grupos vindos das praias de Caxinas, Fuzeta, Nazaré, Peniche, Vila Praia de Âncora, Viana Castelo, Sesimbra e Setúbal (São Sebastião e Anunciada), está a ter lugar no Hotel Domus Pacis, sob a orientação do padre Luís Ferreira, sacerdote e vigário da pastoral da diocese de Setúbal.

“Estes homens deixam as suas casas para irem para o mar à procura de peixe para o sustento das suas famílias, muitas vezes bem sucedidos, outras mal, porque têm pouco peixe e pouco dinheiro depois para alimentar os seus, com todas as consequências que daqui advêm”, recordou o padre sadino, que destaca a fé como uma “âncora” para estas pessoas.

“Ir para o mar, confiar em Nosso Senhor, porque é dele toda a nossa vida. É uma profissão difícil, exigente, mas nós pelo menos em Setúbal temos uma grande realidade ligada ao Mar e vemos como é importante haver pescadores que nos dão o alimento do dia-à-dia. E como Igreja, dar-lhes o conforto e a confiança para eles continuarem as suas profissões”, completou o padre Luís Ferreira.

O retiro anual do Apostolado do Mar em Portugal, que termina este domingo, conta também com a presença de D. António Vitalino, bispo emérito de Beja e antigo presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, irá presidir à Eucaristia de encerramento do evento.

JCP

Partilhar:
Share