«É preciso arregaçar mais as mangas e fazer mais pelas vocações» – Padre Hélder Miranda Alexandre

Angra do Heroísmo, Açores, 21 set 2022 (Ecclesia) – O Seminário Episcopal de Angra, da Igreja Católica no Arquipélago dos Açores, inicia hoje o ano letivo 2022/2023 com 10 alunos, a comunidade de estudantes “mais pequena de sempre”, e pelo segundo ano consecutivo sem novos alunos.

“Nós estamos com o número mais baixo de alunos de que há memória – dez alunos repartidos por três turmas do segundo, quarto e sexto ano. É, por isso, um momento de reflexão pois trata-se do segundo ano seguido sem novos alunos e isto deve constituir um sinal para a diocese”, disse o reitor do Seminário Episcopal de Angra, informa o portal ‘Igreja Açores’.

Para o padre Hélder Miranda Alexandre “é preciso fazer mais pela pastoral vocacional, cada um nas suas comunidades”, para ver como podem “dar a volta” a esta situação, lembrando que a falta de vocações haveria de chegar aos Açores.

“O decréscimo da participação religiosa, no geral, já nos dava esta indicação e por isso era uma questão de tempo. É preciso arregaçar mais as mangas e fazer mais pelas vocações”, realça o reitor do Seminário Episcopal de Angra.

Neste contexto, o sacerdote alerta também que têm de “esperar pela chegada do novo bispo” e, em conjunto, refletir e “tomar as decisões mais adequadas”.

“Este é um projeto de toda a Igreja diocesana e não só de alguns”, destacou o padre Hélder Miranda Alexandre.

O sítio online informativo da Diocese de Angra, ‘Igreja Açores’, adianta que vai continuar no novo ano letivo o segundo ano da formação de diáconos permanentes, Seminário Episcopal de Angra.

Esta instituição de ensino e formação foi inaugurada no dia 9 de novembro de 1862, no Convento de São Francisco de Angra, depois de 328 anos da fundação da Diocese de Angra, e dava cumprimento à “norma tridentina e ao desejo do clero quanto à fundação de um seminário”.

Um século antes o então bispo de Angra, D. Frei José da Avemaria, já exigia que “sem a competente certidão de frequência, aproveitamento e capacidade dos pretendentes, não podiam ser admitidos às Ordens, neste bispado”.

A Diocese recorda que ao longo de 160 anos de existência, o Seminário Episcopal de Angra formou diversas gerações de alunos, “praticamente todos os sacerdotes açorianos”, sete bispos, e foi a “principal e única escola de formação superior de centenas de homens, que influenciaram a cultura e a sociedade açorianas”, era a única instituição de ensino superior do arquipélago antes da criação da Universidade dos Açores.

Por ocasião do 150º aniversário, recebeu a Insígnia da Ordem de Mérito pelo presidente da República, para além da Medalha de Ouro do Município de Ponta Delgada, e do Diploma de Reconhecimento, da Câmara de Angra do Heroísmo.

CB

Partilhar:
Share