Religiosas receberam réplica da cruz da Jornada Mundial da Juventude criada pelos jovens da ilha Terceira

Angra do Heroísmo, Açores, 18 ago 2020 (Ecclesia) – As Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (CONFHIC), na Casa Provincial do Pico Urze, na Diocese de Angra, afirmam aos jovens que estão “muito presentes” na sua “vida, na oração de louvor, entrega e petição”.

“Vós sois para nós uma presença de esperança, de confiança e também, porque não, de responsabilidade pelo futuro que sois”, escreveram as Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição numa carta aberta aos jovens da ilha Terceira e “aos jovens do mundo inteiro”.

Na carta, publicada no sítio online ‘Igreja Açores’, da Diocese de Angra, as religiosas dizem aos jovens que podem ter a “certeza” que estão “muito presentes” na sua “vida, na oração de louvor, entrega e petição”.

A Pastoral Juvenil na Terceira, na Diocese de Angra, criou uma réplica da cruz da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para que está a ser usada na preparação da participação dos grupos desta ilha na próxima edição internacional deste encontro de jovens que se vai realizar em Lisboa, em 2023.

“Foi com sabor humano e espiritual que recebemos a Cruz, símbolo da vossa caminhada rumo às JMJ 2023 de Lisboa. O melhor da festa está na sua preparação”, salientam as religiosas da CONFHIC.

A cruz açoriana da JMJ 2023 que vai percorrer todas as comunidades paroquiais, religiosas e movimentos e foi confiada à Comunidade Religiosa das Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, na Casa Provincial do Pico Urze, entre 9 de julho e 9 de agosto.

“Queridos jovens, junto da Cruz das JMJ fostes motivo de orarmos por vós, renovarmos o nosso Sim a Jesus, não morto e preso numa cruz, mas vivo em cada uma de nós, em cada um de vós. Bem hajam pela vossa presença entre nós”, desenvolvem.

As Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (CONFHIC), na Casa Provincial do Pico Urze, salientam que ter a cruz da Jornada Mundial da Juventude “foi uma grande graça, apelo e responsabilidade”.

Neste contexto, explicam que foi “graça” por que proporcionou “lindos momentos de oração, inspirou e alimentou a oração pessoal e comunitária”, “apelo” por que sentiram que o chamamento ‘Jovem, eu te digo, levanta-te’ “é também para cada uma” das religiosas.

“O Senhor pede-nos que rezemos mais e mais por todos os jovens, especialmente pelos da nossa Ilha para que estejais abertos aos planos que Deus tem para cada um de vós e para que estejais a altura dos desafios e implicações inerentes”, acrescentam, explicando que “responsabilidade” é também “testemunhar a alegria de amar e servir a Deus” aos jovens.

Na carta aberta, publicada no sítio online ‘Igreja Açores’, as Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição convidam os jovens a unirem-se a esta família religiosa, que está a viver uma “cadeia de oração e ação de graças pelos 150 anos de existência”, “no louvor e gratidão a Deus”.

O padre Hélder Miranda Alexandre, responsável pela pastoral juvenil na ilha Terceira, explicou que o objetivo da réplica da cruz da JMJ é “despertar nas comunidades uma grande mobilização rumo à Jornada Mundial da Juventude”.

CB

Partilhar:
Share