Angra do Heroísmo, Açores, 13 jul 2020 (Ecclesia) – A Pastoral Juvenil na Terceira, na Diocese de Angra, criou uma cruz para que vai ser usada na preparação da participação dos grupos desta ilha na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2023, que se vai realizar em Lisboa.

“Despertar nas comunidades uma grande mobilização rumo à Jornada Mundial da Juventude”, é o objetivo explicou o padre Hélder Miranda Alexandre, responsável pela pastoral juvenil na ilha Terceira.

O sítio online ‘Igreja Açores’ informa que a cruz açoriana da JMJ 2023 vai percorrer todas as comunidades paroquiais, religiosas e movimentos e foi confiada à Comunidade Religiosa das Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, na Casa Provincial do Pico Urze, onde vai ficar durante este verão.

“Confiamos os nossos jovens à sua oração, durante este período estival! A história destas religiosas está fortemente associada à juventude, acompanhamento e formação. Por isso, a sua oração e experiência aquecerão e iluminarão as ações futuras”, explicou o padre Hélder Miranda Alexandre.

A superiora provincial da congregação, a irmã Elvira Toledo, assinalou que a cruz foi “encher a alma num momento difícil para todos”, por isso, vão “rezar todos os dias pedindo pelos jovens e pelo mundo em geral”.

“Todos os dias rezaremos diante desta cruz para pedirmos ao Senhor Jesus e à sua Mãe, que é símbolo desta jornada, para abrir o coração dos jovens à semente que Deus lá quer plantar e através da nossa oração e da oferta do nosso sacrifício todos os dias rezaremos pelos jovens”, acrescentou a religiosa ao sítio ‘Igreja Açores’.

A irmã Elvira Toledo observou ainda que “não é fácil cativar os jovens de hoje” mas vão rezar para que “Maria, Mãe de Jesus, e que está tão presente nesta Jornada, possa interceder pelos jovens” para que animem a Igreja e “possam ser o fruto da semente de Deus”.

A cruz da Pastoral Juvenil da Ilha Terceira “está assente numa base com a forma da Ilha que é de Jesus Cristo” e é uma réplica da cruz de madeira, com quase 4 metros de altura, que o Papa João Paulo II entregou aos jovens de todo o mundo, no final do Ano Santo da Redenção (1983-1984) e é um dos símbolos da JMJ.

O Papa polaco, que criou a JMJ, também confiou aos jovens de todo o mundo um Ícone da Virgem Maria “Salus Populi Romani” – venerado durante a XV Jornada Mundial da Juventude de 2000, em Roma – e que agora está também presente em todas as edições internacionais do encontro mundial de jovens promovido pela Igreja Católica.

A cruz mede 380 cm de altura e pesa 31 kg; os braços medem 175 cm de largura e os painéis em madeira medem 25 cm de largura, e o Ícone de Maria mede 118 cm de altura, tem 79 cm de largura e 5 cm de profundidade, pesando 15 Kg.

O sítio online da Diocese de Angra informa que a cruz vai percorrer todas as paróquias da Ilha Terceira, mesmo que não tenham grupo de jovens e vão ser criados eventos para dinamizar a oração e a preparação para a JMJ Lisboa 2023, numa iniciativa ligada ao projeto catequético ‘Say Yes’.

CB

Partilhar:
Share