Bispo realça que celebração da Missa se liga com atenção aos «débeis e excluídos da sociedade»

Foto Igreja Açores

Angra do Heroísmo, Açores, 01 abr 2021 (Ecclesia) – O bispo de Angra alertou hoje, na Missa vespertina da Quinta-feira Santa, para o risco da banalização da Eucaristia nas comunidades católicas.

“Em tempos nos quais tantos banalizam a Eucaristia, sem o cuidado por criarem as condições para dela participarem, tornando-a em mero gesto social, colocando as suas opiniões e interesses pessoais em vez da profundidade das exigências do amor de Jesus Cristo, importa renovarmos em nós, numa conversão profunda, a fidelidade ao que vivemos”, disse D. João Lavrador, na homilia da Missa da Ceia do Senhor, a que presidiu na Sé de Angra.

A celebração, que evoca a Última Ceia de Jesus, assinala a instituição da Eucaristia e do sacerdócio, na Igreja Católica.

O responsável da diocese açoriana afirmou que os cristãos se devem deixar “envolver pelas exigências do compromisso à missão evangelizadora, que terá forçosamente a sua força no gesto de humildade de Jesus de se colocar ao serviço dos outros”.

Para D. João Lavrado, os mais “débeis e excluídos da sociedade” devem ter um lugar central nas comunidades católicas.

O bispo de Angra assinalou que uma maior “consciência da centralidade da Eucaristia na vida cristã” gera “dinamismos comunitários”.

“Esta é a hora de vivermos a nossa fé de maneira consciente e ativa e não como meros expectadores do que se passa na Igreja e no mundo”, concluiu.

LFS/OC

Partilhar:
Share