Cónego Hélder Fonseca Mendes responde a necessidades imediatas para diocese, que continua em «sede vacante»

Foto: Igreja Açores

Angra do Heroísmo, Açores, 16 ago 2022 (Ecclesia) – O administrador diocesano de Angra publicou “nomeações necessárias” para o próximo ano pastoral, em várias paróquias e outros ofícios na ilha de São Miguel, “por imposição da realidade e por motivos de força maior”.

“Sem termos a noção do termo da sede vacante, a não deixar o Povo de Deus ‘como ovelhas sem pastor’, sem remover párocos, sem alterações noutras ilhas, torna-se necessário nomear de imediato, com efeitos a partir dos atos de tomada de posse, os titulares para os respetivos ofícios até que o futuro bispo de Angra ou o administrador diocesano disponham diversamente”, escreveu o cónego Hélder Fonseca Mendes, numa carta à diocese.

No documento, enviado hoje à Agência ECCLESIA e divulgado pelo portal online ‘Igreja Açores’, o administrador diocesano de Angra explicou que ficaram vagas várias paróquias e outros ofícios.

Por exemplo, o padre Norberto Brum, pároco de Nossa Senhora de Fátima (Ouvidoria de Ponta Delgada) e diretor do Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil, foi nomeado responsável pela Pastoral Universitária, e, na mesma ouvidoria, o monsenhor José Medeiros Constância foi reconduzido como diretor do Instituto Católico de Cultura, acumulando com os Serviços Diocesanos da Pastoral Familiar, da Cultura e do Ecumenismo.

Na Ouvidoria da Lagoa, o padre Ricardo Tavares foi nomeado administrador paroquial de Nossa Senhora das Necessidades, na Atalhada, no regresso ao serviço diocesano, após a licença para ocupar o cargo político de diretor Regional da Cultura, contextualiza o portal ‘Igreja Açores’.

O padre João Chaves, da Congregação do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos), também regressa à Diocese de Angra e é o novo capelão do Mosteiro das Clarissas, nas Calhetas.

Na Ouvidoria da Povoação, o padre Francisco Zanon é nomeado administrador das Paróquias de Santa Ana, nas Furnas, e de São Paulo na Ribeira Quente, substituindo o padre Ricardo Pimentel, que entrará em licença sabática.

O cónego Hélder Fonseca Mendes, que fez mais nomeações para a ilha de São Miguel, pede “ao Povo de Deus” que recebe os novos sacerdotes para que “rezem com eles e por eles”, que os acolham bem, “na fé e no amor, como pais, como irmãos mais velhos ou como filhos mais novos”.

O administrador diocesano de Angra já tinha informado o clero que o serviço nas paróquias devia continuar, “até que o próximo bispo confirme ou altere esta decisão”, “apesar da provisão que os nomeou cessar” a 22 de julho.

A Diocese de Angra, que vai começar o ano pastoral 2022/2023 no primeiro fim de semana de outubro, dias 1 e 2, está em “sede vacante” desde a nomeação de D. João Lavrador como bispo de Viana do Castelo, a 21 de setembro de 2021.

CB/OC

Partilhar:
Share