Movimento juvenil internacional viveu semana de celebração, formação e encontro comunitário

Lisboa, 16 ago 2022 (Ecclesia) – A Juventude Mariana Vicentina (JMV) realizou uma semana missionária na Paróquia do Pego, Diocese de Portalegre-Castelo Branco, com “várias valências pastorais da comunidade”.

“Os jovens da JMV, através do seu testemunho e das atividades que realizaram ao longo da semana de missão, promoveram a construção de uma identidade, pretenderam gerar comunhão, estimulando a comunidade a partir para a missão”, lê-se num comunicado do conselho nacional da JMV, enviado hoje à Agência ECCLESIA.

A equipa missionária da ‘Missão Jovem 2022’ foi composta por oito jovens da JMV, provenientes de grupos deste movimento nas paróquias das zonas de Felgueiras, Mafra, Lisboa, Guarda, Santarém, Santiago do Cacém, dois Padres Vicentinos e uma irmã Filha da Caridade

Entre os dias 16 e 24 de julho, os jovens realizaram várias atividades com as crianças e jovens da comunidade do Pego, com os idosos do lar, e com os utentes do Centro de Dia de São Miguel do Rio Torto, e realizaram encontros específicos, com os agentes de pastoral – catequistas, ministros extraordinários da comunhão, acólitos, zeladores, entre outros – sobre “a construção da comunidade e a tarefa de cada um enquanto ‘membro de um Corpo’, com as crianças e jovens da catequese, sobre a mensagem de Jesus hoje, “recorrendo às parábolas de Jesus e a diversos jogos e dinâmicas”.

Segundo o conselho nacional da JMV, uma “parte importante” desta missão foi a dimensão celebrativa e os jovens da Juventude Mariana Vicentina rezaram todos os dias a oração da manhã (Laudes) com a comunidade, e animaram as Eucaristias nas paróquias do Pego, Rossio ao Sul do Tejo e de São Miguel do Rio Torto.

O programa da ‘Missão Jovem JMV 2022’ propôs também celebrações à comunidade com o objetivo de “estimular a vivência das várias dimensões da fé”, nomeadamente, uma caminhada catequética sobre os sacramentos, duas celebrações marianas, uma refletiu sobre o testemunho de Maria, a partir das palavras – sim, ponte, saída, comunidade e diálogo – e a outra apresentou “os episódios mais marcantes da vida de Maria” através de sombras chinesas.

A Juventude Mariana Vicentina (JMV) tem por objetivo “acompanhar os jovens cristãos no crescimento da sua fé, até à maturidade cristã” e também os leva a viver comunitariamente a fé inspiradora nos testemunhos de Maria e São Vicente de Paulo.

O movimento juvenil internacional, que tem como insígnia/divisa a “Medalha Milagrosa”, é resultado de “um desejo revelado nas aparições de Nossa Senhora, em 1830, a Santa Catarina Labouré”, religiosa das Filhas da Caridade.

Presente “nos cinco continentes”, a JMV foi levada pelas Filhas da Caridade e pelos Padres Vicentinos e estão “em mais de 75 países”; há 38 anos em Portugal, atualmente existem 24 grupos.

CB/OC

Partilhar:
Share