D. Filomeno Vieira Dias presidiu ao encerramento da peregrinação ao Santuário da Muxima

Foto: Lusa/EPA

Lisboa, 13 ago 2022 (Ecclesia) – D. Filomeno Vieira Dias, arcebispo de Luanda, presidiu ao encerramento da peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição da Muxima, e afirmou que o país “reclama” a responsabilidade cívica dos angolanos. 

Apontando às eleições de 24 de agosto, o responsável católico falou num momento desafiador para Angola”, e apelou aos angolanos para “agirem com responsabilidade, neste momento, para se evitarem tensões e conflitos”.

Numa intervenção divulgada pelo portal de notícias do Vaticano, o arcebispo de Luanda destacou que os crentes “têm a oportunidade de dar um exemplo de cultura e amizade cívica”, afirmando que o “testemunho de cada um pode ser fonte de paz, de fraternidade, de união, de diálogo, de respeito e de convivência pacífica”.

Em Angola, depois de dois anos de paralisação devido à pandemia da Covid-19, perto de um milhão de peregrinos acorreram, de 4 a 7 de agosto, ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição da Muxima, naquela que foi uma peregrinação anual antecipada devido às eleições de 24 de agosto.

Em representação do Governo angolano esteve, na Eucaristia de encerramento da peregrinação, a ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, que reafirmou o compromisso do Executivo Angolano com a paz, o diálogo e a convivência fraterna entre os angolanos.

Carolina Cerqueira apelou aos angolanos para se “manterem unidos nos propósitos da reconciliação nacional, do desenvolvimento sustentável e da prosperidade das famílias”.

SN

Partilhar:
Share