Albufeira, Faro, 30 jun 2016 (Ecclesia) – O bispo do Algarve destacou a experiência “gratificante” e “transformadora” dos Cursos de Cristandade na ultreia que reuniu cerca de 65 cursistas algarvios no Centro Pastoral Beato Vicente, em Albufeira.

“Quem se deixa ser ‘pincel’ nas mãos de Deus, a sua vida é sempre colorida porque Ele é o melhor dos ‘artistas’”, disse o bispo do Algarve que presidiu à ultreia diocesana, segundo a informação enviada à hoje Agência ECCLESIA, pelo jornal diocesano ‘Folha do Domingo’.

D. Manuel Quintas observou que “nas cores de Deus” também existem algumas que não se gostaria que estivessem na “pintura”: “Somos nós, estão lá porque isso é caminho de vida e de santidade aos olhos de Deus, embora nós, tantas vezes, não saibamos lê-las nem interpretá-las”.

“Quando aceitamos olhar para a nossa vida de longe, com o olhar de Deus, com um olhar de fé, até essas cores mais escuras as entendemos porque entram dentro daquele que é o projeto de Deus para nós”, desenvolveu o prelado, após o rolho (testemunho) e as ressonâncias.

O testemunho foi de Lurdes Meirinho, da Paróquia de Albufeira, que explicou que não frequentava a Igreja até inscrever o filho na catequese quando começou a levá-lo às atividades paroquiais e a participar na Missa, tendo participado depois no 31.º Curso de Cristandade de Senhoras.

“Nasceu em mim uma necessidade de fazer algo mais concreto para a comunidade e menos pessoal. Foi esclarecedor a necessidade que havia de cumprir tarefas que não só a minha ida à igreja ou à catequese. O meu marido também fez o curso e operou-se uma grande diferença na nossa vida”, contou ao jornal diocesano.

Lurdes Meirinho recordou que após a tentativa de ajuda nos tratamentos de um jovem que tinha uma grave doença, e 1999, dinamizou um grupo de pessoas para a fundação de uma associação humanitária que atualmente se chama AHSA – Associação Humanitária Solidariedade de Albufeira e com 22 funcionários apoia 156 utentes através de várias respostas sociais como banco de roupa e de alimentos ou centro de dia.

A seguir à ultreia, o bispo do Algarve presidiu à Eucaristia e salientou a “experiência gratificante” e “transformadora” dos Cursos de Cristandade que leva os participantes a olhar para a sua vida e para Deus de uma maneira que lhes era desconhecida.

“Se não houver estes momentos na nossa vida que avivem essa presença gratificante de Deus num Curso de Cristandade, facilmente o nosso seguimento de Cristo se torna inconsistente e intermitente. E não pode ser assim”, referiu D. Manuel Quintas.

O responsável da equipa diocesana do MCC, Vitor Baltazar, destacou ainda com o novo centro de ultreia no Algarve, em Aljezur, criado no presente ano pastoral.

Da agenda diocesana do Movimento dos Cursilhos de Cristandade assinala-se de 26 a 29 janeiro o 68.º Curso de Homens e em março o 53.º Curso de Senhoras, entre os dias 09 e 12.

De recordar que, desde janeiro de 2014, Portugal é a sede da Organização Mundial dos Cursilhos de Cristandade até 2017 quando o Santuário de Fátima vai receber uma ultreia mundial entre 05 a 07 de maio, com a participação de cursilhistas de 60 países, num encontro integrado nas comemorações do Centenário das Aparições de Nossa Senhora.

CB

Partilhar:
Share