Cruz e Ícone de Nossa Senhora passaram pelo sul de Portugal durante o mês de novembro e são entregues hoje à Diocese de Beja

Foto Folha de Domingo/Samuel Mendonça, Símbolos da JMJ na Santuário da Mãe Soberana

Loulé, 27 nov 2023 (Ecclesia) – O coordenador na Diocese do Algarve da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 disse à Agência Ecclesia que a peregrinação dos símbolos durante o mês de novembro mostrou que a jornada “já é uma realidade concreta”.

“Os jovens finalmente sentiram que a Jornada Mundial Juventude já é uma realidade concreta e não só uma realidade hipotética que vai aparecer em 2023”, afirmou João Costa  no Santuário da Mãe Soberana, em Loulé, onde os jovens algarvios se encontraram na noite desta sexta-feira para uma peregrinação com os símbolos e uma vigília de oração.

Foto Agência Ecclesia/PR, peregrinação dos símbolos da JMJ no Santuário da Mãe Soberana

Para o coordenador do Comité Organizador Diocesano (COD) da JMJ Lisboa 2023, no Algarve, a peregrinação dos símbolos fez acontecer jornada já em 2021, na região.

“Mostrou que é algo real”, sublinhou João Costa, constatando que por diferentes motivos alguns jovens podiam não se sentir “entusiasmados e encorajados” a participar, em 2023.

“A passagem do símbolos é o melhor convite e a melhor força para continuar este caminho até 2023”, afirmou.

João Costa referiu que a peregrinação da Cruz e do Ícone e Nossa Senhora foi uma ocasião para formar “bons alicerces” e “criar pontes” pela possibilidade de estar em ambientes inesperados, como uma prisão ou um hospital, com símbolos que “têm um impacto e visibilidade mundial”.

“Agora que vamos passar os símbolos para Beja, que sejamos nós estes símbolos, indo às periferias e podendo fazer a diferença junto de tanta gente e de tantos jovens que procuram um sentido”, indicou o responsável pelo COD do Algarve.

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude iniciam hoje a peregrinação na Diocese de Beja, onde estarão durante o mês de dezembro, e vão peregrinar um mês em cada diocese, terminando em Lisboa, em julho de 2023.

A entrega dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude vai acontecer em Mértola, onde jovens a Diocese de Beja recebem de jovens da Diocese do Algarve a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora.

PR

Peregrinação dos Símbolos nas Dioceses de Portugal

Novembro 2021 – Algarve
Dezembro 2021 – Beja
Janeiro 2022 – Évora
Fevereiro 2022 – Portalegre-Castelo Branco
Março 2022 – Guarda
Abril 2022 – Viseu
Maio 2022 – Funchal
Junho 202 – Angra
Julho 2022 – Lamego
4 a 7 agosto 2022 – Peregrinação Europeia de Jovens em Santiago de Compostela
Agosto 2022 – Bragança-Miranda
Setembro 2022 – Vila Real
Outubro 2022 – Porto
Novembro 2022 – Setúbal
Dezembro 2022 – Forças Armadas e Segurança
Janeiro 2023 – Viana do Castelo
Fevereiro 2023 – Braga
Março 2023 – Aveiro
Abril 2023 – Coimbra
Maio 2023 – Leiria-Fátima
Junho 2023 – Santarém
Julho 2023 – Lisboa

 

A Cruz peregrina

Com 3,8 metros de altura, a Cruz peregrina, construída a propósito do Ano Santo, em 1983, foi confiada por São João Paulo II aos jovens no Domingo de Ramos do ano seguinte, para que fosse levada por todo o mundo. Desde aí, a Cruz peregrina, feita em madeira, iniciou uma peregrinação que já a levou aos cinco continentes e a quase 90 países.

Foi transportada a pé, de barco e até por meios pouco comuns como trenós, gruas ou tratores. Passou pela selva, visitou igrejas, centros de detenção juvenis, prisões, escolas, universidades, hospitais, monumentos e centros comerciais. No percurso enfrentou muitos obstáculos: desde greves aéreas a dificuldades de transporte, como a impossibilidade de viajar por não caber em nenhum dos aviões disponíveis.

Ícone

Desde 2000 que a Cruz Peregrina é acompanhada pelo Ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, que retrata a Virgem Maria com o Menino nos braços. Este Ícone foi introduzido também pelo Papa São João Paulo II como símbolo da presença de Maria junto dos jovens.

Com 1,20 metros de altura e 80 centímetros de largura, o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani está associado a uma das devoções mais populares marianas em Itália: é antiga a tradição de o levar em procissão pelas ruas de Roma, para afastar perigos e desgraças ou pôr fim a pestes. O ícone original encontra-se na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, e é visitado pelo Papa Francisco que ali reza e deixa um ramo de flores, antes e depois de cada viagem apostólica.

Partilhar:
Share