Instituição católica está a preparar a constituição do seu conselho consultivo diocesano

Foto Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Faro, 08 mai 2019 (Ecclesia) – A Cáritas Diocesana do Algarve promoveu um encontro de partilha, reflexão e formação, sobre como fazer um atendimento, com os seus grupos paroquiais, na igreja paroquial em São Brás de Alportel.

“Temos de ter consciência como é que deve ser feito um atendimento social para que as pessoas também possam crescer, mudando a sua postura de necessitado de forma a que não seja uma ajuda permanente sem que a pessoa vá modificando o seu modo de vida”, disse o presidente da instituição, Carlos Oliveira, ao ‘Folha do Domingo’.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano informa que a formação foi apresentada pela técnica de ação social da Cáritas algarvia, Ana Sofia Pereira, para quem “é importante ter uma ficha de atendimento social”.

“Tentar pedir às pessoas os comprovativos das receitas e das despesa, por forma a tentarmos salvaguardar e sermos justos com as suas reais necessidades”, desenvolveu, assinalando que, “às vezes, torna-se difícil” perceber “as reais necessidades das pessoas”.

Segundo Ana Sofia Pereira “o grande desafio” de todo o trabalho social é quebrar o ciclo de pedidos de ajuda” e salientou que por se pedir a documentação às pessoas não estão “a desconfiar delas”, uma vez que o dinheiro da instituição “é o dinheiro da população e podem exigir” que informem quem é que ajudam.

Na Diocese do Algarve existem seis Cáritas Paroquiais – Boliqueime, Cachopo, matriz de Portimão, Nossa Senhora do Amparo de Portimão, São Bartolomeu de Messines e São Brás de Alportel – e cinco participaram na reunião realizada este sábado.

Foto Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Para além da formação e uma reflexão sobre a parábola bíblica do Bom Samaritano, pelo padre Rui Barros Guerreiro, os participantes visitaram as instalações da Cáritas paroquial de São Brás de Alportel e os representantes das Cáritas paroquiais partilharam o trabalho realizado por cada uma.

A Cáritas Diocesana do Algarve está também a preparar a constituição do seu conselho consultivo, um órgão de aconselhamento que vai ser constituído pelo presidente, pelo seu Conselho Fiscal, um representante de cada uma das quatro vigararias e um representante de cada uma das Cáritas paroquiais.

O bispo diocesano D. Manuel Quintas já aprovou o Conselho Consultivo cujas funções e objetivos foram explicados às Cáritas Paroquiais.

Carlos Oliveira explicou que vão reunir, “pelo menos, duas vezes por ano” para uma “análise daquilo que foi feito” e para “perspetivar projetos comuns” a todas as Cáritas para uma “valorização da ação sociocaritativa”, divulga o jornal ‘Folha do Domingo’.

CB

Partilhar:
Share