Foto: Folha do Domingo

Faro, 19 mar 2019 (Ecclesia) – O bispo do Algarve disse que sem a “dimensão da caridade” uma comunidade fica “incompleta”, falando aos 96 agentes do setor social que participaram nas Jornadas diocesanas de Ação Sociocaritativa.

“Uma comunidade paroquial pode ter uma liturgia excelente, pode ter catequistas exímios, mas se faltar a dimensão da caridade é uma comunidade incompleta”, disse D. Manuel Quintas, na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, pelo jornal ‘Folha do Domingo’.

O bispo diocesano explicou que a caridade “é o critério que define a ação evangelizadora da Igreja” e salientou a importância de “gente que desperta, alerta, provoca e ajuda” a comunidade a viver esta dimensão que “é estrutural”.

“A pobreza não foi criada por Deus. Foi e é criada por mim e por ti quando não partilhamos o que temos e o que somos, por isso exige-se esse dever de todos, particularmente daqueles que se consideram discípulos de Cristo para minorar os sofrimentos daqueles que se encontram nesta grande classificação de pobres”, desenvolveu D. Manuel Quintas, este sábado, no Centro Pastoral e Social da Diocese do Algarve, em Ferragudo. dedicadas ao tema ‘Pobre, caminho de Missão’.

Na 18.ª edição das Jornadas de Ação Sociocaritativa, intitulada o ‘Pobre, caminho de Missão’, o bispo do Algarve frisou que a dimensão da caridade e a dimensão do serviço são um dever de todos, uma vez que faz parte da “essência do ser cristão e do ser Igreja”.

O presidente da Cáritas Diocesana do Algarve, instituição que organizou este encontro de reflexão, sublinhou que este setor da pastoral não diz respeito apenas aos seus grupos sociocaritativos e apelou à sua sensibilização nas paróquias.

“Somos Igreja e todos temos a mesma missão que é ajudar aqueles que são os mais frágeis da sociedade”, destacou Carlos Oliveira, que é também diretor do Secretariado diocesano da Pastoral Sociocaritativa.

O jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ informa ainda que o encontro terminou com a divulgação de um questionário que pretende “conhecer o universo dos grupos paroquiais de ação social” e durante a jornada puderem ver uma exposição fotográfica sobre o tema da pobreza.

CB/OC

Partilhar:
Share