Padre Gaspar Pimentel destaca a importância de «acolher e confortar» quem chegar a Portugal

 

Angra do Heroísmo, Açores, 23 ago 2021 (Ecclesia) – O capelão açoriano na Base das Lajes, na ilha Terceira (Diocese de Angra), considera que pode existir uma

Foto Lusa

“intensificação” de aviões norte americanos por causa da retirada de civis e militares do Afeganistão, até dia 31 de agosto.

“Não sabemos ainda como se vai processar tudo mas é possível que haja uma intensificação do movimento na pista das Lajes”, disse o padre Gaspar Pimentel, ao sítio online ‘Igreja Açores’.

O capelão acoriano contextualiza esta possibilidade com as necessidades de “transporte de pessoas e a distância entre os Estados Unidos e o Afeganistão” mas adianta que, “por enquanto, ainda não se verifica”.

Segundo o padre Gaspar Pimentel, “acolhimento e conforto espiritual” são o seu principal desafio, o capelão da parte portuguesa destaca que mantém uma relação “muito boa” com o capelão norte-americano, que é protestante.

Foto Igreja Açores, padre Gaspar Pimentel

“Não nos cruzamos tanto como certamente desejaríamos, por causa dos horários, mas temos uma relação muito amistosa”, acrescenta, indicando que os militares norte-americanos católicos são assistidos espiritualmente pelo pároco de Porto Martins, padre José Júlio Rocha, que celebra semanalmente uma Eucaristia para eles nesta paróquia da ilha Terceira.

Os talibãs conquistaram a capital do Afeganistão, Cabul, no dia 15 de agosto, uma reconquista do grupo que governou o país entre 1996 e 2001 e que começou com o início da retirada das forças militares norte-americanas e da NATO.

Na Base das Lages, a capelania assiste maioritariamente os militares portugueses – cerca de 200 – que formam quase que uma paróquia, com a celebração dominical, às 20h00, têm “um pequeno coro, um grupo de acólitos” e “o terceiro agrupamento de escuteiros do CNE nos Açores, o agrupamento 111”, referiu o padre Gaspar Pimentel sobre uma “comunidade pequena mas muito viva”, que antes da pandemia também tinham catequese.

A Diocese de Angra informa que a Base das Lajes tem sido um espaço importante para os norte-americanos que mantém um contingente de cerca de 200 militares em solo português, e, sobretudo depois do fim da guerra fria, tem servido para várias operações militares no médio oriente, sobretudo para escalas técnicas e de reabastecimento.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, D. José Traquina, afirmou a disponibilidade da Igreja Católica em Portugal para participar no acolhimento de refugiados do Afeganistão.

Os capelães militares Diamantino Teixeira, Licínio Silva e António Borges da Silva, que realizaram missões em solo afegão, recordaram o serviço dos militares portugueses e partilharam como estavam a acompanhar a tomada de poder dos talibãs.

CB

 

Afeganistão: Igreja Católica em Portugal preparada para acolher refugiados, sem esquecer os que lá ficaram (c/vídeo)

Partilhar:
Share