Iniciativa responde a disposição do Papa Francisco

Portalegre, 04 fev 2020 (Ecclesia) – A Diocese de Portalegre-Castelo Branco anunciou a criação de uma Comissão para a Prevenção e Proteção de Pessoas Vulneráveis, em resposta às indicações dadas pelo Papa Francisco para o combate aos abusos sexuais.

D. Antonino Dias, bispo diocesano, refere no decreto de nomeação que a comissão integra “pessoas experientes nas áreas da psiquiatria, psicologia, justiça civil e canónica”.

A estrutura vai permitir que “alguém mais facilmente possa denunciar possíveis abusos praticados por clérigos ou leigos em instituições e âmbitos diocesanos”, sem “prejuízo do cumprimento das leis civis, particularmente das relativas às eventuais obrigações de denúncia às autoridades civis competentes”.

A nova comissão é nomeada por um período de três anos, renováveis, e vai escolher, entre os seus membros, um coordenador leigo, regendo-se “pelas normas canónicas e civis aplicáveis”.

João Paulo Albuquerque – (Portalegre)

Isabel Maria Duque Gonçalves Martins – (Castelo Branco)

Coronel Alfredo João de Oliveira Gonçalves – (Castelo Branco)

Ana Maria Serra Fernandes – (Abrantes)

Carlos Alberto Milheiro Folgado Teixeira – (Castelo Branco)

Padre Nuno Miguel Barradas Tavares Folgado – (Castelo Branco)

Em 2019, o Papa publicou a Carta Apostólica ‘Motu Proprio Vos estis lux mundi’, com disposições gerais a aplicar em caso de denúncias de abusos sexuais de menores ou de pessoas vulneráveis.

O documento determinou a criação, em todas as dioceses católica, de “um ou mais sistemas estáveis e facilmente acessíveis ao público” para eventuais denúncias.

A nova comissão foi apresentada no último sábado aos membros do Conselho Pastoral Diocesano de Portalegre-Castelo Branco.

OC

Partilhar:
Share