D. João Lavrador mobiliza arquipélago a refletir a «realidade» da Igreja Católica «no âmbito social, cultural e eclesial»

Angra do Heroísmo, Açores, 05 set 2019 (Ecclesia) – O bispo de Angra convidou os jovens a serem “os primeiros” a oferecer “sonhos e entusiasmo, a sua coragem e o dinamismo da sua fé” para ajudarem a “rejuvenescer a Igreja diocesana” que começa uma “caminhada sinodal”.

“A caminhada sinodal que vamos iniciar tem os olhos postos nos jovens e por isso queremos ser Igreja segundo os seus ideais que uma vez em comunhão com Jesus de Nazaré rasgam novos horizontes para a Igreja do futuro”, escreveu D. João Lavrador na sua nova nota pastoral.

No documento, o responsável assinala que os jovens começam a “entusiasmar-se” pela sua participação na próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude que o Patriarcado de Lisboa vai receber em 2022.

O bispo dos Açores explica que o ano pastoral 2019/2020 que está a começar é o primeiro da “caminhada sinodal” que vai ter como lema ‘a beleza de caminharmos juntos em Cristo’ e para a qual convoca “todos os batizados” para que façam a reflexão interna e com a sociedade.

“Que todos e cada um dos cristãos se sintam empenhados em oferecer o seu contributo para o rejuvenescimento da nossa Igreja e das nossas comunidades”, acrescenta.

Na nota pastoral o bispo diocesano explica que a caminhada sinodal começa por “escutar, ver e analisar a realidade envolvente”, e, neste contexto, “todos os batizados e mesmo outras pessoas de boa vontade” são chamados a refletir sobre a realidade que a Igreja Católica é “no âmbito social, cultural e eclesial”.

“Ajudados por alguns textos e com um conjunto de interrogações que vão ser lançadas, contribuiremos para um juízo mais aprofundado da situação concreta em que se encontram os Açores e nomeadamente a Igreja diocesana com as suas comunidades e fiéis”, desenvolveu, adiantando que as respostas devem ser enviadas para a Comissão Coordenadora da Caminhada Sinodal.

D. João Lavrador quer um “melhor” diálogo com o mundo de hoje “oferecendo-lhe uma Igreja mais próxima e atenta, acolhedora e em atitude de serviço à pessoa e à sociedade”, por isso, incentiva a que se “estimulem” os diversos grupos e pessoas da sociedade e da cultura para que debatam os temas propostos e ajudem “com a sua sensibilidade”.

Os sacerdotes, acrescenta, têm “um papel imprescindível” no caminhar sinodal e revela-se “seguro” que todos irão “dedicar o melhor das suas energias e capacidades” na mobilização, no acompanhamento, na formação, na coordenação e na experiência de comunhão e corresponsabilidade que “se exigem neste percurso eclesial”.

O bispo assinala que no início de um ano pastoral, que vai começar oficialmente a 6 de outubro na Diocese de Angra, “há um desafio à criatividade” e essa novidade “brota sem dúvida” das capacidades pessoais partilhadas na comunidade, mas “sobretudo da ação do Espírito de Deus que continuamente renova a Sua Igreja”.

Na nota pastoral ‘A beleza de caminharmos juntos em Cristo’, divulgada pelo sítio online diocesano ‘Igreja Açores’, D. João Lavrador solicita também “a atenção” para os encontros de apresentação do plano pastoral 2019/2020 e já tinha convidado a diocese para as formações nas três vigararias, nos dias 9, 10 e 12 de setembro.

CB

Partilhar:
Share