Triénio pastoral começa com o sacramento do «BatismoCaminho de Santidade»

Foto Diocese de Viseu

Viseu, 07 out 2019 (Ecclesia) – O bispo de Viseu apresentou “as linhas mestras” para o Ano Pastoral 2019-2020 à diocese que é chamada a “tomar consciência dos sacramentos da iniciação cristã” – Batismo, Confirmação e Eucaristia – no encontro de agentes da pastoral.

“Redescobrir o dom da fé permite caminhar do deserto para lugares de vida, na amizade com o Filho de Deus; O caminho é o exercício permanente de conversão pessoal, que nos torna fecundos, geradores e fontes de vida”, disse D. António Luciano, no Auditório do Centro Pastoral, divulga a diocese.

Neste primeiro ano pastoral 2019/2020, a Igreja Católica em Viseu vai refletir sobre o Batismo, caminho de santidade.

As linhas de ação pastoral, que foram apresentadas pelo bispo diocesano este sábado, vão ser “amplamente divulgadas” em Carta Pastoral, e propõem como metodologia a constituição de grupos de missão e discipulado, que todos os meses vão trabalhar, a partir de uma catequese temática do prelado, em momentos de reflexão, diálogo e oração.

D. António Luciano explicou que “cada aldeia (grupo) deverá ser um convento”, instrumento de evangelização, vencendo obstáculos, à semelhança do que aconteceu por ocasião da expulsão das Ordens Religiosas.

“O crer não é do foro privado: é decidir estar com o Senhor e viver com Ele, em comunidade, em comunhão de fé e prática da caridade”, assinalou.

A Diocese de Viseu é chamada a “tomar consciência dos sacramentos da iniciação cristã”, para além do Batismo, também os sacramentos da Eucaristia (2020/2021) e da Confirmação (Crisma) (2021/2022) – durante os próximos três anos, até 2022, quando Portugal recebe a edição internacional da Jornada Mundial da Juventude.

Do programa deste encontro destaca-se também que o Secretariado Diocesano da Educação Cristã apresentou o projeto catequético para a adolescência ‘Say Yes’ e os 17 alunos finalistas da Escola Diocesana da Fé avaliaram “a importância desse serviço”

Na primeira intervenção do dia, Paulo Almeida, do Serviço Nacional de Acólitos, apresentou o tema ‘os ministérios ao serviço da missão’ e explicou que “a missão é fazer o Bem, servindo, como membro da Igreja”.

A Diocese de Viseu informa ainda que os finalistas receberam um diploma de D. António Luciano, no final da Eucaristia, na catedral, e quatro vão ter mais um ano de formação, na linha da pastoral prática, para serem ordenados diaconados permanente.

CB

Partilhar:
Share