Eucaristia de apresentação do novo bispo diocesano decorreu no dia em que se assinalou o 502.º aniversário da Catedral

Foto Agência ECCLESIA/SN, D. António Luciano na Missa de entrada na Diocese de Viseu

Viseu, 22 jul 2018 (Ecclesia) – O novo bispo de Viseu afirmou este domingo, na homilia da Missa de entrada na diocese, que todos os agentes devem pôr “mãos à obra” nos trabalhos pastorais e pediu um cuidado para com todos.

“Hoje os trabalhos e as solicitações pastorais são muitas e por isso temos que saber o verdadeiro discernimento para responder às necessidades da Igreja e da sua ação pastoral. Temos de ter a coragem de formar o povo de Deus para que entenda as mudanças que a caminhada sinodal exige de todos nós. Mãos à obra”, disse D. António Luciano.
Após ter tomado posse este sábado, perante o Colégio de Consultores da Diocese de Viseu, o responsável foi apresentado à Diocese este domingo, dia em que se assinalam os 502 anos da dedicação da catedral, um dia “bonito” para apontar o contínuo cuidado de todos, como pediu.
“É preciso cuidar dos sacerdotes, do seminário, da família, dos jovens, das vocações, das comunidades, dos pobres, dos doentes, dos marginalizados e excluídos”, sublinhou o bispo de Viseu.
O bem comum de todos, a justiça e a paz social que somos chamados a construir, crentes e não crentes, não pode ser uma opção de segundo plano. O respeito pela vida e pela pessoa humana, promovendo a sua dignidade e integridade, leva-nos a ter uma consciência de respeito e responsabilidade onde o acolhimento do outro, seja ele quem for e de onde vier, deve ser para nós cristãos um indicativo evangélico de tudo fazer para o bem do próximo”.

D. António Luciano propôs a todos uma Igreja “missionária e em saída”.

“Esta é a verdadeira Igreja de Cristo em saída, uma Igreja missionária, enviada a cada um de nós e às periferias do nosso mundo”, precisou.

O Papa Francisco nomeou, a 3 de maio, como bispo de Viseu o cónego António Luciano dos Santos Costa, vigário episcopal para o Clero da Guarda, sucedendo a D. Ilídio Leandro, de 67 anos, que renunciou por motivos de saúde.

D. António Luciano dos Santos Costa nasceu a 26 de março de 1952, em Corgas, freguesia e paróquia de Sandomil (Seia), Distrito e Diocese da Guarda; trabalhou como enfermeiro nos Hospitais da Universidade de Coimbra e, depois de cumprir o serviço militar em Moçambique, retomou funções clínicas, em Coimbra, completando a formação em Enfermagem.

Iniciou o percurso para a formação sacerdotal no ISET (Coimbra), aos 28 anos de idade, prosseguindo os estudos no Seminário da Guarda; foi ordenado diácono a 8 de dezembro de 1984 e padre a 29 de junho de 1985.

SN/PR

Foto Agência ECCLESIA/SN, Missa de entrada na Diocese de Viseu de D. António Luciano

 

Homilia de D. António Luciano na entrada solene na Diocese de Viseu

Partilhar:
Share