D. António Luciano pede que sinos toquem a «repique» e casas sejam enfeitadas com cruzes

Viseu, 31 mar 2020 (Ecclesia) – O bispo de Viseu mantém “a suspensão da celebração comunitária da Eucaristia”, até ser superada a atual situação de emergência, e pede que no Domingo de Páscoa “todas as igrejas e lugares de culto habitual toquem os sinos”, às 12h00.

“Viver a Semana Santa em prevenção, contenção e comunhão orante no Espírito de Cristo Ressuscitado, para, com Maria Saúde dos Enfermos, encontrarmos n’Ele a alegria de viver”, deseja D. António Luciano nas suas orientações para a Semana Santa.

No documento enviado à Agência ECCLESIA, o bispo de Viseu informa que vai “manter a suspensão da celebração comunitária da Eucaristia” e pede aos presbíteros que celebrem de modo que “os fiéis das suas comunidades saibam que estão unidos a eles, não física, mas espiritualmente” e que informem que podem acompanhar as celebrações na Catedral de Viseu que são transmitidas no seu sítio online – www.diocesedeviseu.pt.

 

Celebrações na Catedral de Viseu, durante a Semana Santa, com transmissão online:

Celebração de Ramos, 5 abril, (Domingo de Ramos) às 11h00; Quinta-Feira Santa, Missa da Ceia do Senhor, às 18h00, 9 de abril; Sexta-Feira Santa a celebração da Paixão e Morte do Senhor às 1500; 11 de abril, dia de silêncio e oração, Vigília Pascal às 21h00; e no Domingo de Páscoa a Eucaristia Solene da Ressurreição do Senhor, às 11h00.

O bispo diocesano indica aos sacerdotes que celebrem nas igrejas paroquiais os mistérios litúrgicos do Tríduo Pascal e que os fiéis tenham conhecimento da hora de início, “para que estes possam estar unidos espiritualmente em oração familiar a partir das respetivas casas”.

Do Domingo de Ramos à Páscoa é sugerido que seja colocada uma cruz, “ornamentada segundo a criatividade de cada família cristã”, num lugar visível do exterior de cada casa.

Já sobre a Visita Pascal, D. António Luciano explica que “será feita espiritualmente” e sugere que a família se reúna em volta de uma Cruz, “se possível enfeitada, e uma vela acesa, como símbolo da Luz que é Cristo Ressuscitado”.

“Todos na mesma barca, embora em lugares diferentes, sentir-nos-emos verdadeira Igreja Pascal”, salienta o bispo de Viseu.

Na manhã do Domingo de Páscoa, este ano 12 de abril, os párocos podem celebrar a Eucaristia, “sem povo, numa das igrejas paroquiais” e às 12h00 é sugerido que, “em todas as igrejas e lugares de culto habitual, se toquem os sinos em tom festivo (repique) e se reze o Pai-nosso em louvor de Cristo Ressuscitado”, como sinal de comunhão eclesial.

D. António Luciano contextualiza que as orientações para a Semana Santa na Diocese de Viseu são feitas por causa dos “tempos difíceis devido à epidemia do Covid-19” e em conformidade com o decreto da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos (Santa Sé) e a Conferência Episcopal Portuguesa.

CB/OC

Partilhar:
Share