«O desafio a caminhar com alegria, com fé e verdade não deve deixar ninguém para trás» – D. António Luciano

Viseu, 13 out 2021 (Ecclesia) – O bispo de Viseu convida “com alegria” toda a diocese e todo o povo de Deus a viver o início do processo sinodal, este domingo, apontando a um “caminho inovador, inclusivo e aglutinador”.

“O sínodo deve servir para chamar, aproximar, cativar, clarificar, instruir, formar, consciencializar e colocar a todos na mesma estrada, a olhar na mesma direção, com o mesmo objetivo, com o horizonte do maior bem e a salvação de todos”, explica D. António Luciano, numa carta à diocese.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, pelo ‘Jornal da Beira’, o bispo diocesano manifesta receio de que não entrem “todos no caminho” e não cheguem “juntos à meta”, mesmo passando juntos pelas diversas etapas.

“O desafio a caminhar com alegria, com fé e verdade não deve deixar ninguém para trás”, salienta D. António Luciano.

‘Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão’ é o tema da assembleia e o percurso para a celebração do sínodo está dividido em três fases, entre outubro de 2021 e outubro de 2023, passando por uma fase diocesana e outra continental, que dará vida a dois instrumentos de trabalho distintos, antes da fase definitiva, ao nível mundial.

O Papa Francisco presidiu à sessão de abertura da 16ª assembleia geral do Sínodo dos Bispos e à Missa que inaugurou oficialmente o processo sinodal 2021-2023, nos dias 09 e 10 de outubro, no Vaticano.

Para o bispo de Viseu que vai presidir à abertura do processo sinodal na diocese, com uma oração, este domingo, às 15h30, no Seminário Maior, o sínodo é um convite para que cada Diocese do mundo “abrace” um ‘caminhar juntos’.

D. António Luciano deseja que todas as energias possam “convergir e sintonizar com a graça do Espírito Santo, através da sabedoria, da fortaleza, da prudência e da força refrescante da oração”.

“Que juntamente com a oração não falte a paciência, a coragem, o sacrifício, o estudo, o discernimento e o trabalho pastoral juntos”, acrescentou.

A abertura solene deste caminho 2021-2023 vai começar com uma Assembleia Diocesana, de apresentação do Programa Pastoral 2021-2022, intitulado ‘Família, Alimenta-te na Eucaristia’, e termina com a Eucaristia, a apresentação da equipa diocesana e o envio em missão.

Neste contexto, o responsável católico convida “com alegria todos os fiéis, todo o povo de Deus”, a ‘caminhar juntos’ – os pastores, os consagrados e os leigos – e a viver o início deste processo em ‘comunhão, participação e missão’.

D. António Luciano pede que em todas as Missas do próximo domingo “seja rezada pelo sínodo” e explica que “o momento de envio em missão”, na celebração diocesana, é um convite a realizar o trabalho sinodal com “dinamismo e esperança”, para chegar a todas as paróquias, comunidades, serviços diocesanos, grupos eclesiais, familiares de jovens “em caminhada para a JMJ de 2023 em Lisboa”.

CB/OC

Partilhar:
Share