D. Amândio Tomás diz que a nomeação de D. António Augusto de Azevedo é uma «mais-valia» numa região «muito esperançosa, muito fiel e muito dedicada»

Vila Real, 11 mai 2019 (Ecclesia) – O administrador apostólico de Vila Real afirmou que o novo bispo é uma “mais-valia” para diocese, que vai celebrar 100 anos da sua criação em 2022, e desejou-lhe “frutuosa projeção” para lá das celebrações centenárias.

“D. António Augusto é, de facto, um dom de Deus e uma mais-valia, para a Diocese, que vai celebrar Cem Anos de existência. Faço votos de que o novo Bispo conduza a Diocese, com frutuosa projeção para lá das celebrações do Centenário”, escreveu D. Amândio Tomás num comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

D. Amândio Tomás foi bispo de Vila Real entre 2011 e 2019, após ter sido três anos coajutor; com a nomeação de um novo bispo e até à sua tomada de posse, foi nomeado administrador apostólico.

“Votos de longo e fecundo Episcopado, para o bem desta Diocese, muito esperançosa, muito fiel e muito dedicada”, desejou D. Amândio Tomás ao novo bispo.

Até agora bispo auxiliar do Porto, D. António Augusto Azevedo foi hoje nomeado bispo de Vila Real pelo Papa Francisco.

D. Amândio Tomás lembrou que o novo bispo, que já é “sobejamente conhecido dos padres da Diocese, que o tiveram como professor, reitor e educador”, e vai ser “bem recebido”, de “alma e coração” pelas gentes de Trás-os-Montes e Alto Douro.

O administrador apostólico de Vila Real agradeceu  ao Papa Francisco o novo bispo e também à diocese de origem de D. António Augusto Azevedo, Porto, referindo que a sua nomeação é “o corolário da estreita colaboração eclesial de mais de meio século” entre as duas dioceses.

“Esta cooperação intraeclesial e inter-diocesana é digna de ser sublinhada, preservada e incrementada”, afirmou D. Amândio Tomás.

Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a Conferência Episcopal Portuguesa congratula-se também com a nomeação de D. António Augusto Azevedo como Bispo de Vila Real e agradece a D. Amândio Tomás “a missão que exerceu como Pastor dessa diocese”.

“A Conferência Episcopal deseja a D. António Azevedo um fecundo ministério episcopal nesta nova missão junto do Povo de Deus na Diocese de Vila Real e agradece o precioso contributo que presta ao serviço da Conferência Episcopal, em particular como Presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios”, acrescenta o comunicado, assinado pelo secretário e porta-voz da CEP, padre Manuel Barbosa.

A entrada solene de D. António Augusto Azevedo vai decorrer no dia 30 de junho, na Sé de Vila Real.

A Diocese de Vila Real foi criada pelo Papa Pio XI pela Bula ‘Apostolicae Praedecessorum Nostrorum’, de 20 de abril de 1922, com Paróquias vindas da Arquidiocese de Braga (166) e das Dioceses de Lamego (71) e de Bragança (19), ficando com os limites do distrito de Vila Real.

A superfície da Diocese de Vila Real é de 4.273,20 km2 e tem atualmente 264 Paróquias;  o primeiro bispo diocesano foi o D. João Evangelista Vidal (1923-1933), seguindo-se D. António Valente da Fonseca (1933-1967), D. António Cardoso da Cunha (1967-1991), D. Joaquim Gonçalves (1991-2011) e D. Amândio José Tomás, desde 2011, e agora D. António Augusto Azevedo.

PR

Foto 360portugal.com

Partilhar:
Share