A Ressurreição “não é um voltar atrás”, mas uma abertura “ao novo” disse na Vigília Pascal

Foto: António Carvalho

Vila Real, 03 Abr 2021 (Ecclesia) – D. António Augusto Azevedo afirmou, este sábado, na homilia da Vigília Pascal, que os cristãos não devem “perder-se em atalhos” e “desviar-se em pormenores secundários” em relação à Páscoa.

Em relação ao episódio do sepulcro vazio, o Bispo de Vila Real sublinha que as mulheres “são as primeiras a acolher a grande notícia” e “precursoras da missão”.

“A Boa Nova Pascal começou naquela noite e nunca mais parou”, proferiu D. António Augusto Azevedo na Sé de Vila Real.

A Ressurreição “não é um voltar atrás”, mas uma abertura “ao novo” e um “irromper ao novo”, acentuou o Bispo de Vila Real.

Os caminhos novos devem “ser discernidos” porque a ação da Igreja “não é um exercício de arqueologia ou um revivalismo”, acrescentou.

Os cristãos têm uma “grande memória e raízes sólidas”, que servem não tanto “pelos frutos já dados” mas por aqueles que “vão dar”, frisou.

Celebrar a Páscoa “consolida a esperança” e “ratifica o compromisso do batismo”, concluiu D. António Augusto Azevedo.

LFS

Partilhar:
Share