D. António Luciano pediu «sabedoria e inteligência» para os investigadores e profissionais de saúde

Viseu, 11 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo de Viseu pediu hoje sabedoria e inteligência para os investigadores e profissionais de saúde que tratam os doentes covid-19 e que surjam “novos tempos” para a humanidade, depois da “pesada pandemia”.

«Que se afaste essa nuvem densa e pesada desta epidemia para que novos tempos surjam para a humanidade, afirmou D. António Luciano na homilia da Vigília Pasca.

O bispo de Viseu lembrou os “tempos difíceis” da humanidade, numa ocasião da história em que a criação se encontra “doente”, pedindo ao “Senhor da Criação” que “cuide da casa comum”.

“Ele que criou todas as coisas e criou o homem para conduzir os destinos da terra dê aos investigadores, aos médicos, aos profissionais de saúde todo o saber, toda a inteligência, todo o cuidado terapêutico e também os cuidados humanos e espirituais para todo aqueles que , vítimas desta pandemia ou de outras doenças graves, requerem um cuidado humanizador e humanizante”, afirmou.

Na noite em que se “elevou o Círio Pascal”, D. António Luciano afirmou que a luz do ressuscitado “há de brilhar, sempre e sem cessar, porque ela dissipou as trevas e fez surgir o dia”.

O bispo de Viseu disse que a celebração da Ressurreição de Jesus está a ser celebrada em isolamento social, mas em “comunhão espiritual” e desejou que a Páscoa “dê animo força e esperança” a cada um, reconhecendo que os sentimentos da atualidade são de alegria pela ressurreição e de temor, como sentiram as mulheres que foram ao sepulcro à procura de Jesus.

“Temor porque pedimos a Deus o auxílio e a graça para que seja erradicada do nosso mundo esta pandemia que já vitimou tantos irmãos e irmãs”, afirmou.

D. António Luciano desejou “aos doentes, aos seus cuidadores e às famílias” a “força e a graça” para encontro “o verdadeiro caminho da fé cristã, o caminho do batismo como caminho da santidade”.

Boas festas a todos e a todos, em família, em comunhão”, concluiu o bispo de Viseu na celebração que decorreu na Sé diocesana, com um número restrito de participantes.

PR

Partilhar:
Share