D. José Traquina falou da «centralizado» da celebração desta noite em todo o Ano Litúrgico

Foto: Diocese de Santarém

Santarém, 11 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo de Santarém desejou que o Tempo Pascal seja uma “boa profecia” para o tempo atual e aponte para uma “passagem” para melhores condições que permitam “trabalhar, conviver, em liberdade responsável”.

“Que este tempo litúrgico da Páscoa, que esta vigília inaugura, seja sinal de boa profecia para o mundo em que vivemos: haja passagem, progressão de condições para que seja possível trabalhar, conviver, em liberdade responsável, com alegria e paz”, disse D. José Traquina.

Durante a homilia da Vigília Pascal, o bispo de Santarém falou da centralidade da celebração na Noite de Páscoa, o “ponto alto de todo o Ano Litúrgico” para a Igreja Católica, lembrando que “não é suposto que seja celebrada sem a participação de fiéis”.

“Mesmo assim, a Vigília Pascal tem a força sacramental da graça que não podemos desperdiçar e que é extensiva a quem acompanha com fé em suas casas”, afirmou.

Numa celebração transmitida nas redes sociais, o bispo de santarém disse que os 50 dias da Páscoa, que se inauguram com a Vigília Pascal são uma oportunidade para “testemunhar a fé em fraternidade familiar, em cuidados de uns para com os outros, em atenções as todos”.

Na sua homilia, D. José Traquina lembrou sobretudo as pessoas idosos que agora estão “mais isoladas”.

O bispo de Santarém presidiu à Vigília Pascal na Sé diocesana, numa Eucaristia concelebrada por um número reduzido de sacerdotes e participada por acólitos, leitores e cantores.

PR

Partilhar:
Share