D. Manuel Quintas convidou os fiéis a assumirem «de modo mais consciente o batismo»

Foto: Folha do Domingo

Faro, 11 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo do Algarve afirmou hoje que “tudo” o que os fiéis vivem “como batizados e discípulos de Cristo” encontram o seu fundamento e o seu dinamismo no que celebraram esta noite na Vigília Pascal, “a mãe de todas as vigílias”.

“Apesar da situação que atravessamos, proclamemos com o coração cheio de alegria e de esperança que Cristo pela sua ressurreição venceu o pecado e a morte, venceu todas as formas de morte. Assumamos de modo mais consciente o nosso batismo, das trevas mesmo as mais densas que se possam abater sobre nós, passemos com Cristo ressuscitado à luz que brota da sua ressurreição”, disse D. Manuel Quintas.

Na homilia da Vigília Pascal, transmitida online, o bispo do Algarve explicou que a renovação das promessas do batismo “permite assumir, uma vez mais”, o que escutaram de São Paulo na Carta aos Romanos – ser batizados significa passar com Cristo da Morte para a vida – ou seja, “assumir as consequências desta configuração com Cristo”.

“Tudo nesta noite nos convida a professar a fé em Cristo ressuscitado e a testemunhá-la, tal como aquele grupo de mulheres naquele dia que viria a ser o dia do Senhor, o domingo”, assinalou na celebração na Sé de Faro.

D. Manuel Quintas salientou que ser batizado, “ser sepultado na morte com Cristo”, significa “abandonar todas as formas de pecado”, e desejou que a “alegria desta noite” possa contagiar a vida de cada fiel e a “luz que brota de Cristo Ressuscitado iluminar e desfazer as suas sombras”.

“Tudo nesta noite converge para esta afirmação de fé, Cristo ressuscitou, venceu a morte, vive para sempre”, afirmou o bispo do Algarve.

CB

 

Partilhar:
Share