D. António Augusto Azevedo convidou a profissão de fé no «Deus da vida»

Vila Real, 11 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo de Vila Real presidiu hoje à Vigília Pascal, na catedral diocesana, evocando o “duro obstáculo” da pandemia de Covid-19 para convidar os católicos a uma profissão de fé no “Deus de vida”.

“Nesta noite em que trevas cobrem as nossas vidas, em que nos sentimos tantas vezes limitados, até prisioneiros, peçamos ao Senhor que remova este duro obstáculo deste caminho”, para uma vida “plena e mais livre”, apelou D. António Augusto Azevedo.

“Ele nunca nos abandonou e nunca nos abandonará”, acrescentou, numa celebração à porta fechada, com transmissão online.

O responsável católico falou em tempos que são “desafios à fé”.

“Nesta noite pascal, faz-nos bem ir ao mais fundo de nós”, apontou.

O bispo de Vila Real deixou votos de que todos possam sair desta crise como “melhores pessoas, cristãos mais conscientes e ativos”.

A homilia destacou que a fé enche os cristãos de “ânimo e coragem”, diante do sofrimento e da morte.

“Esta Páscoa tão especial, até invulgar, vivida num clima mais pessoas e familiar, permite-nos valorizar a experiência da fé como encontro pessoal com Cristo vivo”, referiu.

Nas normas para as celebrações na Semana Santa por causa da pandemia covid-19, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos (Santa Sé) indicou que a Vigília Pascal, celebração mais importante do ciclo litúrgico, fosse celebrada, como todas as restantes celebrações, com a ausência de fiéis, omitindo-se o ritual do fogo e a procissão inicial.

OC

Partilhar:
Share