D. José Ornelas explicou que a morte e ressurreição de Jesus e o dom do Espírito Santo são «a base do mundo novo»

Diocese de Setúbal

Setúbal, 11 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo de Setúbal disse hoje que Jesus “tem GPS infalível” e “nunca abandonará nenhum dos seus”, encontra as pessoas “sempre, em qualquer lugar” e está nas famílias e nos hospitais, na homilia da Vigília Pascal na catedral.

“Está presente hoje em cada uma das nossas famílias ou nos hospitais onde se curam os doentes, e onde Ele também vem acolher nos seus braços aqueles que fecham os olhos neste mundo para fazê-los contemplar um mundo novo que preparou para eles na glória do Pai”, afirmou D. José Ornelas.

Na Missa da Vigília Pascal, o bispo de Setúbal explicou que a Jesus “já não o detêm nem muros, nem distância”, porque “é o Senhor ressuscitado presente em toda a Igreja” onde quer que “dois ou três estejam reunidos em seu nome”.

“Ele nunca abandonará nenhum dos seus, tem GPS infalível que nos encontra sempre em qualquer lugar que estejamos mas sabe e conhece também o estado de nossa alma, dos nossos sentimentos, e das nossas dores ou alegrias. E fará isso e sempre dando-nos novo ânimo, nova força, como deu aos discípulos ao revelar-se a eles ressuscitados”, desenvolveu.

D. José Ornelas assinalou que “Deus não é um deus distante” e tornou-se presente em Jesus, que como homem “fez da sua vida um dom a toda a humanidade, até à morte mais humilhante” porque não teve “medo de descer aos calabouços dos dramas dos homens”.

“Quando parecia que tudo estava terminado do seu coração trespassado brotou o sangue e a água, o dom da vida e do espírito que transforma o coração dos que creem, fazendo-o bater ao ritmo do seu”, acrescentou.

Neste contexto, realçou que a morte e ressurreição de Jesus e o dom do Espírito Santo são “a base do mundo novo que começa com a transformação desta terra” e se projeta na vida sem ocaso onde “procedeu na sua ressurreição”.

Segundo o bispo de Setúbal, esse mundo começa para cada um com “a aceitação do Evangelho e com o dom Espírito Santo no batismo”, e na vigília pascal são renovadas as promessas batismais e batizados os catecúmenos, que “este ano não será possível” porque haverá uma forma contida nestas celebrações, devido aos condicionalismos da pandemia”.

Às “largas dezenas” de catecúmenos da Igreja Católica na Península de Setúbal, D. José Ornelas dirigiu “uma palavra materna” que vão “ser batizados com a presença da comunidade” a “mãe igreja alegra-se” no caminho que estão a fazer e “dá as boas vindas na casa de Deus”.

A quem acompanhava a celebração transmitida online, o bispo de Setúbal observou que “não será possível a comunhão” e pediu que se lembrassem que para “o Senhor ressuscitado não existem muros, nem distâncias”.

CB/

Partilhar:
Share