D. Anacleto Oliveira presidiu a celebrações do Dia de Ramos

Foto: Diocese de Viana

Viana do Castelo, 14 abr 2019 (Ecclesia) – O bispo de Viana presidiu hoje às celebrações do Domingo de Ramos, no início da Semana Santa, e sublinhou a importância das manifestações públicas da fé

“Podem tirar todos os crucifixos dos lugares públicos, mas há crucifixos que ninguém conseguirá tirar: aqueles onde estamos nós. E essa imagem é mais contagiante que o próprio crucifixo enquanto objeto que serve, acima de tudo, para nos deixarmos crucificar com um amor sem medida”, referiu D. Anacleto Oliveira, no sermão da Procissão do Encontro.

De manhã, na Missa de Ramos a que presidiu na catedral, o prelado tinha afirmado que Jesus se “nega a si mesmo para salvar a humanidade”, perante a rejeição de todos os que presenciaram os momentos da sua condenação e morte.”

“Estas personagens usam o termo para negar que Jesus seja o Salvador. E, fazendo-o, repetem, de certa forma, aquilo que o diabo tinha dito no conhecido episódio das tentações que Jesus foi capaz de vencer precisamente porque não Se queria salvar a Si mesmo”, declarou, numa intervenção enviada à Agência ECCLESIA.

“Que o Senhor continue, hoje, a salvar a humanidade, através de cada um de nós, mediadores da sua salvação”, concluiu.

OC

Partilhar:
Share