Reitor destaca importância de valorizar acompanhamento presencial

Viana do Castelo, 17 set 2020 (Ecclesia) – O reitor do Seminário diocesano de Viana do Castelo, padre José Gomes, disse à Agência ECCLESIA que este ano “inicia de forma muito atípica”, devido à pandemia, mas têm todas as medidas de prevenção.

“É de forma muito atípica que este ano inicia e até ponderamos manter o contacto à distância, com aulas online e encontros virtuais com o seminário, como fizemos em tempo de confinamento, mas o acompanhamento ficava muito aquém”, explica o sacerdote.

No dia em que comemoram 25 anos desde a chegada dos primeiros seminaristas ao Seminário Diocesano de Viana do Castelo, Centro São Frei Bartolomeu dos Mártires, o reitor explica que o “local tem muito espaço” e o plano de contingência bem definido. 

Sabemos dos riscos que correm, uma vez que os seminaristas vão a casa ao fim-de-semana e para minimizar estamos com o tal plano de contingência, seja o uso de máscara, higienização das mãos, distanciamento entre eles, o que nem sempre é fácil, e corredores de passagem”.

Foto: Diocese de Viana do Castelo

O responsável contou ainda que ao nível de espaço físicos há a possibilidade de distanciamento, havendo muito espaço”, há limitações nos espaços da cozinha e lavandaria, e como medida preventiva a cada manhã, “há a medição de temperatura ao entrarem na capela”.

O grupo de 11 seminaristas, frequentam do 7.º ao 12.º ano e permanecem no colégio diocesano durante o dia, “regressando ao seminário no fim das atividades”. 

“Temos a particularidade de, destes 11 jovens, oito estão a ingressar no seminário, com uma vontade muito grande em vir para o seminário, os próprios pais confessaram a dificuldade de os ver ir mas uma das mães dizia que se sentia tranquila ao ver o filho com tão grande vontade”, recorda.

O padre José Gomes afirmou ainda que os jovens já se iam conhecendo “de alguns encontros” que fizeram antes do confinamento, do “acompanhamento mais no digital” e faz um balanço “muito positivo” destes dias. 

Estes dias posso dizer que são muito positivos, estão em início de ano letivo e disponíveis para interagir e se conhecerem melhor; por exemplo, nem todos são adeptos da prática desportiva mas, na segunda-feira à noite, depois do jantar, o serão foi a jogar futebol, um momento de convívio e de alguma normalidade”.

Foto: Diocese de Viana do Castelo – Jovens do Seminário Maior

A equipa formadora do Seminário, “que este ano conta com o diácono João Basto que se junta”, quer trabalhar na “divulgação do seminário e no trabalho de pré-seminário”.

“Também no seminário conciliar, em Braga, estão 10 seminaristas da nossa diocese, três que ingressam pela primeira vez no seminário maior; já se encontram lá em permanência, desde a passada quinta feira, estavam animados e a viver em regime de comunidade no seminário com todas as rotinas de prevenção”, refere. 

SN

 

Há 25 anos chegavam os primeiros seminaristas

Partilhar:
Share