Conselho Presbiteral «manifestou vontade» de que São Bartolomeu dos Mártires e São Paulo VI sejam padroeiros secundários da diocese

Viana do Castelo, 05 dez 2019 (Ecclesia) – O bispo de Viana do Castelo, D. Anacleto Oliveira, presidiu esta terça-feira ao Conselho Presbiteral da diocese, no qual se sublinhou a “oportunidade” que é a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2022, em Lisboa.

“O conselho sugeriu que fosse dada prioridade à pastoral juvenil ao longo dos próximos anos pastorais, tendo presente a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Cristo Vive do Papa Francisco”, informa o Secretariado Diocesano de Comunicação Social de Viana do Castelo.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, lê-se que “foi consensual” que a realização da próxima edição internacional da JMJ em Portugal (2022) “é uma oportunidade que não pode ser desperdiçada pela Igreja”, nomeadamente pela diocese do Alto Minho.

No Conselho Presbiteral que decorreu no Centro Pastoral Paulo VI, em Darque, foram partilhadas várias sugestões para o “projeto pastoral para os próximos anos” e destaca-se ainda a “valorização do percurso de iniciação cristã”, a reestruturação da pastoral juvenil, e a possível reorganização pastoral da diocese.

Na reunião, os sacerdotes refletiram também sobre a revisão do perfil das comunidades paroquiais, a “necessidade de superação de uma mentalidade clerical” e a “maior responsabilização e maior aposta na formação dos leigos”.

Sob a presidência do bispo diocesano, foi analisado e revisto o novo estatuto do Conselho Pastoral Diocesano, “sobressai uma redução do número de membros”, pronunciaram-se sobre a atualização do vencimento base dos sacerdotes de Viana do Castelo e partilharam sugestões para a renúncia quaresmal 2020.

Segundo o comunicado, o Conselho Presbiteral “manifestou vontade” de que São Bartolomeu dos Mártires e São Paulo VI sejam “padroeiros secundários” da Diocese de Viana do Castelo.

CB/OC

Partilhar:
Share