Primeira fase de reconstrução envolveu um investimento de cerca de 45 mil euros

Viana do Castelo, 11 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo de Viana do Castelo acompanhou esta segunda-feira a entrega oficial da conclusão da primeira fase da reconstrução da igreja do Santuário de Santa Rita, em Rouças, devastada por um incêndio em 2017.

De acordo com um comunicado hoje à Agência ECCLESIA, D. Anacleto Oliveira realçou o esforço feito pela comunidade local, e também por comunidades vizinhas, ao longo destes anos, no sentido de levar o bom porto a recuperação deste templo.

“As comunidades formam-se quando têm uma obra que estão a fazer. O que estão a fazer é vosso! Consideraram isto como sendo vosso, mas no sentido alargado, pois também receberam contributos de Monção, gente que tem uma ligação profunda com este santuário”, salientou o responsável católico.

A iniciativa contou com a presença do pároco atual de Santa Rita, padre Carlos Martins; do presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista; do representante da empresa responsável pelas obras, José Barreto; e do secretário da União de Freguesias de Viana do Castelo, José Manuel Fernandes.

O pároco local destacou o contributo deixado pelo seu antecessor, o padre João Paulo Torres Vieira, “na procura de vários orçamentos”, e pela comunidade, na angariação de “donativos para que a obra fosse possível”.

Aquele responsável indicou ainda que, do valor total desta primeira fase de recuperação (43 mil euros) já foram pagas três tranches em dívida.

“Só avançaremos para uma segunda fase quando a primeira estiver paga na totalidade, pois como diz a minha avó: quem paga o que deve, sabe o que lhe sobra”, referiu o sacerdote.

Grande parte do esforço financeiro relacionado com a recuperação da igreja do Santuário de Santa Rita, cerca de 25 mil euros, será destinada à renovação da “tela do teto”.

Do lado da empresa que assumiu as obras, o engenheiro José Barreto descreveu mais ao pormenor alguns dos trabalhos que estiveram em curso, desde a renovação de “tetos”, do “pavimento”, da “caixilharia minimalista”, passando pela iluminação “em luzes led de baixo consumo, no máximo de 100 a 120 watts” e de todo o sistema de “áudio”.

Aquele responsável sublinhou ainda a preocupação de prevenir novos episódios de ameaça contra a igreja, com a instalação de “elementos de segurança quer contra incêndios, quer contra intrusão”.

O presidente da Câmara Municipal de Melgaço, região que abrange a localização do Santuário de Santa Rita, aproveitou a ocasião para dar uma boa notícia, relacionada com um pedido de apoio feito pelo padre Carlos Martins.

“O padre Carlos desafia sempre, e provoca. E realmente provocou-me já na assinatura do contrato em janeiro deste ano, quando pediu o apoio financeiro da Câmara Municipal para esta obra. Nós ainda não respondemos formalmente à provocação, mas já está tudo preparado”, assegurou Manoel Batista.

A ocasião de festa, com a conclusão oficial da primeira fase das obras de recuperação da igreja do Santuário de Santa Rita, na localidade de Rouças, em Melgaço, incluiu uma missa festiva seguida de procissão com todas as comunidades da região.

JCP

Partilhar:
Share