Líder do parlamento, o opositor Juan Guaidó, autoproclamou-se presidente interino

Caracas, 23 jan 2019 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal da Venezuela (CEV) apelou hoje ao respeito pela população, depois de o líder do parlamento, o opositor Juan Guaidó, se ter autoproclamado presidente interino do país.

“Pedimos à Santíssima Virgem de Coromoto, padroeira da Venezuela, que cuide de todos os venezuelanos, das famílias em busca de bem-estar e liberdade, e convidamos a todos a rezar pela Venezuela”, assinala uma mensagem da CEV, após as manifestações de protesto em vários locais da nação sul-americana.

Uma nota da Comissão Justiça e Paz, assinada pelo presidente, D. Roberto Lückert, bispo emérito de Coro, pede às forças de segurança “o respeito pelos cidadãos que se manifestam”, evitando a repressão violenta, detenções arbitrárias e o uso de armas de fogo.

A Igreja Católica considera que a Assembleia Nacional é “atualmente o único órgão do poder público legitimado a exercer o seu poder”.

A CEV vê nas manifestações convocadas pela oposição para este dia 23 de janeiro um “sinal de esperança” para alcançar “mudanças necessárias”

Durante os protestos de hoje, cerca de 700 pessoas procuraram refúgio na Catedral de Maturin, tendo sido protegidas pelo exército até conseguirem sair em segurança.

Nicolas Maduro, presidente da Venezuela, tomou posse para um novo mandato, no início de janeiro, depois de vencer as eleições antecipadas de 20 de maio de 2018, que foram boicotadas pela oposição.

A União Europeia não reconheceu os resultados das últimas eleições.

OC

Venezuela: Conferência Episcopal denuncia «deterioração humana e social da população», com críticas ao governo

Partilhar:
Share