Episcopado convoca um Dia Nacional de Oração, denunciado violações dos Direitos Humanos

Lisboa, 12 jan 2021 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Venezuela apelou a “um ato de coragem” de mudança governativa, com transição democrática legal e pacífica, “diante da situação muito grave do país” alertando para violações dos Direitos Humanos.

“Acompanhando e interpretando o sentimento da maioria dos venezuelanos, mais uma vez insistimos que o país precisa de uma mudança radical na liderança política, que requer integridade, racionalidade e sentimento do governo, de amor à pátria para deter este mar de sofrimentos do povo venezuelano”, escrevem os bispos, numa exortação pastoral divulgada no encerramento da 115ª Assembleia Plenária Ordinária.

Os responsáveis católicos consideram que as eleições parlamentares do último dia 6 de dezembro ficaram marcadas por “graves irregularidades, pouco concorridas e não reconhecidas por um amplo setor internacional”, sustentando que os resultados “não expressam a vontade do povo, nem refletem o pluralismo social”.

Para o episcopado local, a mudança política requer “integridade, racionalidade e sentimento de amor ao país” porque a Venezuela sofre “as nefastas consequências de um modelo económico, imposto por um regime e uma ideologia comunista que empobreceu todos, especialmente os mais fracos”.

“É notório como se deteriorou a qualidade de vida, a educação, saúde, e serviços básicos. Estamos a sofrer com uma inflação imparável e uma desvalorização que empobreceu toda a população”, alerta a CEV.

Neste contexto, os bispos falam do aumento da emigração, considerando que, quando os venezuelanos decidem deixar o seu país é porque, “assediados pela precariedade, chegaram a uma situação extrema em que não têm outra forma que assumir o desafio e o risco de enfrentar o desconhecido”.

“Esta migração é a prova mais evidente do grande fracasso das políticas públicas implementadas pelo Governo”, indicam, defendendo o ‘Direito de Não Emigrar’, recordando a Encíclica do Papa Francisco ‘Fratelli Tutti’, de outubro de 2020.

A nota lamenta ainda que muitos dos que defendem os Direitos Humanos se tornem “vítimas de perseguição e desqualificação violenta e opressora, de assédio e extorsão”.

No novo documento, a Conferência Episcopal da Venezuela convoca um Dia Nacional de Oração, para 2 de fevereiro, para que todos os habitantes do país possam “resolver os conflitos de maneira pacífica”, e recordam a próxima beatificação do médico José Gregorio Hernández, modelo de serviço e opção pelos pobres.

CB/OC

Vaticano: Francisco reza pelos venezuelanos, evocando pandemia e pobreza no país

Partilhar:
Share