Cidade do Vaticano, 14 jun 2019 (Ecclesia) – O secretario de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, assinalou os 25 anos do estabelecimento das relações diplomáticas entre a Santa Sé e Israel, num discurso proferido na Sinagoga Maior de Roma.

“A Santa Sé e o Estado de Israel são chamados a unir as forças para favorecer a liberdade religiosa, de culto e de consciência, qual condição indispensável para tutelar a dignidade de todo ser humano, e a trabalhar juntos para combater o antissemitismo”, assinalou o colaborador do Papa, esta quinta-feira.

O texto, divulgado hoje pelo Vaticano, sublinha que a abertura, em junho de 1994, das duas missões diplomáticas em Telavive e no Vaticano, após o Acordo Fundamental entre a Santa Sé e o Estado de Israel, “abriu uma nova fase nas relações bilaterais, iniciando um caminho significativo de cooperação”.

O cardeal Parolin elogiou o compromisso assumido pelo Estado de Israel de assegurar à Igreja Católica a liberdade para desempenhar sua missão, em particular no campo das escolas católicas.

“Fazemos votos de que jamais falte a coerência com o espírito do Acordo Fundamental para uma renovada e profícua colaboração com a Igreja Católica em Israel e que o país possa demonstrar com orgulho a viabilidade da sua democracia, assegurando a todos direitos iguais e oportunidades iguais para a construção de um futuro de paz e concórdia”, acrescentou.

OC

Partilhar:
Share