Iniciativa assinala o 6.º aniversário da viagem de Francisco à ilha italiana de Lampedusa

Foto Vatican Media

Cidade do Vaticano, 01 jul 2019 (Ecclesia) – O Papa vai celebrar uma Missa no Vaticano com um grupo de migrantes e refugiados de várias nacionalidades, acompanhados por voluntários que trabalharam em missões de resgate.

De acordo com o portal Vatican News, a iniciativa está marcada para o dia 8 de julho, a partir das 11h00 (menos uma em Lisboa) e tem como objetivo assinalar o sexto aniversário da visita de Francisco à ilha italiana de Lampedusa.

Nessa altura, a 8 de julho de 2013, o Papa argentino evocou o drama dos milhares de migrantes que tentam entrar na Europa e acabam por perder a sua vida no mar Mediterrâneo.

Uma temática que continua atual e que o Papa vai querer vincar no próximo dia 8 de juho, numa celebração na Basílica de São Pedro que contará com cerca de 250 pessoas.

Além do grupo de migrantes, refugiados e voluntários, esta Eucarístia contará também com a presença de alguns convidados da Seção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, a quem Francisco confiou a realização da celebração.

De acordo com o Vatican News, o Papa argentino pretende que “o momento seja o mais possível de recolhimento, em memória daqueles que perderam a vida para fugir à guerra e à miséria e para encorajar aqueles que, todos os dias, se esforçam por apoiar, acompanhar e acolher os migrantes e refugiados”.

Há 6 anos, Francisco celebrou uma Missa em Lampedusa, perante milhares de pessoas na ilha meditarrânica, situada a menos de 115 quilómetros da costa da Tunísia, porta da Europa para milhares de imigrantes africanos.

“Neste mundo da globalização, caímos na globalização da indiferença. Habituamo-nos ao sofrimento do outro, não nos diz respeito, não nos interessa, não é responsabilidade nossa”, disse na altura o Papa argentino.

JCP

Partilhar:
Share