Francisco vai iniciar mês de maio com oração pela paz, em santuário de Roma

Cidade do Vaticano, 29 abr 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco saudou hoje o “resultado positivo” da cimeira entre os líderes das Coreias do Norte e do Sul, apelando à oração dos católicos pela paz, em particular na Síria.

“Acompanho com a oração o resultado positivo da Cimeira Intercoreana da última sexta-feira e o corajoso compromisso assumido pelos líderes das duas partes para realizar um percurso de diálogo sincero, com vista a uma península coreana livre das armas nucleares”, declarou, após a recitação da oração do Regina Coeli.

Falando aos milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, Francisco disse rezar para que esta “esperança de um futuro de paz e de mais fraterna amizade” não seja desiludida.

“Que a colaboração possa prosseguir, trazendo frutos de bem para o amado povo coreano e para o mundo inteiro”, desejou.

Os líderes das Coreias do Norte e do Sul anunciaram esta sexta-feira um tratado de paz para acabar de modo oficial com o conflito na península coreana.

Kim Jong-un e Moon Jae-in colocam assim um ponto final a mais de 65 anos de conflito naquele território.

A ‘Declaração para a Paz, Prosperidade e Unificação da Península Coreana’ vai ser assinada até final deste ano.

O Papa Francisco recordou depois, desde a janela do apartamento pontifício, que vai iniciar o mês de maio, particularmente dedicado à oração do terço, com uma peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora do Divino Amor, em Roma (17h00 locais, menos uma em Lisboa).

“Vamos recitar o Rosário, rezando em particular pela paz na Síria e em todo o mundo. Convido-os a unirem-se espiritualmente e a prolongar por todo o mês de maio a oração do Rosário pela paz”, apelou.

Francisco deixou uma palavra de solidariedade aos católicos da Nigéria, “novamente atingida pelo assassinato de um grupo de fiéis”, entre os quais dois sacerdotes.

“Confiemos ao Deus da misericórdia estes irmãos”, declarou.

Um grupo armado matou na última terça-feira 18 pessoas, incluindo dois padres, num ataque a uma igreja no Estado nigeriano de Benue, segundo autoridades locais.

O Papa deixou votos de que esta comunidade católica reencontre a “concórdia e a paz”.

Durante o encontro dominical de oração, o pontífice evocou a beatificação, este sábado, da leiga polaca Anna Chrzanowska, que “dedicou a sua vida a cuidar dos doentes”.

“Todos nós somos chamados a ser santos, vivendo com amor”, observou Francisco.

A catequese papal sublinhou que o “dinamismo de caridade” na Igreja Católica “não é fruto de estratégias” sociais ou ideológicas, mas do “encontro com Jesus”.

“Ele é para a nós a vide de onde absorvemos a linfa, isto é, a vida para levar à sociedade um modo diferente de viver e gastar-se, que coloca em primeiro lugar os últimos”, concluiu.

OC

Partilhar:
Share