Cidade do Vaticano, 09 mai 2019 (Ecclesia) – O Papa manifestou hoje a sua solidariedade à comunidade cigana, durante um encontro de oração que decorreu no Vaticano, criticando quem os considera “cidadãos de segunda classe”.

“É verdade, existem cidadãos de segunda classe. Mas os verdadeiros cidadãos de segunda classe são aqueles que descartam as pessoas: esses são de segunda, porque não sabem abraçar. Sempre, com os adjetivos, excluem os outros. Pelo contrário, a verdadeira estrada é a fraternidade”, disse a um grupo de rom e sinti.

Após ouvir testemunhos e cantos, Francisco improvisou um discurso, apelando à esperança em Deus, que “nunca desilude”.

“Avançar com dignidade: a dignidade da família, do trabalho, de ganhar o pão quotidiano. É isso que nos leva em frente: a dignidade da oração. Olhando sempre para frente. E quanto vier o rancor, ignorar, pois a história nos fará justiça”.

“Quando leio nos jornais algo de mau, vou ser sincero: sofro. Hoje li algo mau e sofro, porque isso não é civilização. O amor é a civilização: em frente com o amor”, concluiu o Papa.

OC

Partilhar:
Share