Francisco recorda riscos de contágio durante a pandemia

Cidade do Vaticano, 06 mai 2020 (Ecclesia) – O Papa recordou hoje no Vaticano o trabalho dos profissionais da Comunicação Social, durante a pandemia de Covid-19.

“Rezemos hoje pelos homens e mulheres que trabalham nos meios de comunicação. Neste tempo de pandemia, correm muitos riscos e trabalham muito. Que o Senhor os ajude neste trabalho de transmissão, sempre, da verdade”, disse, no início da Missa a que presidiu na Capela da Casa de Santa Marta, com transmissão online.

A 3 de maio, através da sua conta no Twitter, Francisco tinha assinalado o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

“Na crise atual, precisamos de um jornalismo livre a serviço de todas as pessoas, especialmente daquelas que não têm voz; um jornalismo comprometido na busca da verdade e que abra caminhos de comunhão e de paz”, escreveu.

Em Portugal, a Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais publicou esta terça-feira uma nota em que destaca o “serviço fundamental” dos media durante a pandemia de Covid-19.

“A par com tantos heróis que estão na linha da frente a salvar vidas e acompanhar os que são mais excluídos e isolados, teremos de reconhecer e louvar o serviço fundamental e imprescindível da comunicação social. Toda ela, mas de modo especial a de proximidade como seja a comunicação social regional”, refere o documento, enviado à Agência ECCLESIA pelo organismo da Igreja Católica.

OC

Na sua homilia de hoje, o Papa falou de “máfias espirituais”, que procuram outras pessoas “para proteger-se e permanecer nas trevas”.

“Não é fácil viver na luz. A luz nos mostra muitas coisas más, dentro de nós, que não queremos ver: os vícios, os pecados… Pensemos nos nossos vícios, pensemos na nossa soberba, pensemos no nosso espírito mundano: essas coisas cegam-nos, distanciam-nos da luz de Jesus”, advertiu.

 

 

Partilhar:
Share