«Que o Senhor os ajude e lhes dê força, porque o trabalho não é fácil», disse Francisco

Foto Lusa/VATICAN MEDIA

Cidade do Vaticano, 02 mai 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco rezou hoje pela união dos governantes que têm a responsabilidade de cuidar dos povos nos momentos de crise, como a atual pandemia de Covid-19,  na Missa deste sábado.

“Rezemos hoje pelos governantes que têm a responsabilidade de cuidar de seus povos nestes momentos de crise: chefes de Estado, chefes de governo, legisladores, prefeitos, governadores… Para que o Senhor os ajude e lhes dê força porque o trabalho deles não é fácil”, pediu no início da Eucaristia na capela na Casa Santa Marta.

O Papa pediu que quando existirem “diferenças” os governantes dos países, estes “entendam” que, nos momentos de crise, “devem ser muito unidos para o bem do povo, porque a unidade é superior ao conflito”.

Na homilia, Francisco disse que nos momentos de crise “é preciso ser muito firme na convicção de fé, há perseverança”, e “não é o momento de fazer mudanças”, mas “da fidelidade e da conversão”.

Neste contexto, o Papa salientou que os cristãos devem “aprender a administrar tanto os momentos de paz” como os de crise.

Que o Senhor nos envie o Espírito Santo para resistirmos às tentações nos momentos de crise e sermos fiéis, com a esperança de depois viver momentos de paz, e nos dê a força de não vender a fé”.

O Papa assinalou que a Igreja “cresce nos momentos de conforto” e explicou que “há tempos difíceis, de perseguições, tempos de crises que colocam os fiéis em dificuldade”, a partir da leitura do Livro dos Atos dos Apóstolos (At 9,31-42) deste sábado, que refere como a primeira comunidade cristã se consolidava.

“O momento de crise é um momento de escolha que nos coloca diante das decisões que devemos tomar. Também esta pandemia é um momento de crise”, afirmou.

Na Missa transmitida a partir do Vaticano, o Papa Francisco convidou as pessoas que não podem comungar sacramentalmente a fazer a Comunhão espiritual com uma oração, e terminou a celebração com adoração e a bênção eucarística, informa o sítio online ‘Vatican News’.

Meu Jesus, eu creio que estais presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós!”.

CB

 

Partilhar:
Share