Francisco envia mensagem a congresso internacional sobre justiça social

Cidade do Vaticano, 15 abr 2021 (Ecclesia) – O Papa alertou para os riscos de uma pobreza que ignora os pobres, numa mensagem divulgada hoje pelo Vaticano, com críticas ao “populismo”.

“A verdadeira resposta ao aumento do populismo não é mais individualismo, mas o contrário: uma política de fraternidade, enraizada na vida do povo”, escreve Francisco.

O texto é dirigido aos participantes da Conferência Internacional ‘Uma política enraizada no povo’, a decorrer em Londres, promovida pelo Centro de Teologia e Comunidade (Centre for Theology & Community) da capital inglesa.

Francisco questiona o que chama de “desprezo” da cultura popular e sustenta que “uma política que ignora os pobres nunca pode promover o bem comum”.

“Uma política que ignora as periferias nunca será capaz de entender o centro e confundirá o futuro com a projeção através de um espelho. Uma maneira de desconsiderar os pobres é desprezar a sua cultura, os seus valores espirituais e valores religiosos, descartando-os ou explorando-os para fins de poder. O desprezo pela cultura popular é o início do abuso de poder”, adverte.

O Papa cita o reverendo Angus Ritchie e a sua proposta de “populismo inclusivo”, preferindo a expressão “popularismo” para expressar a mesma ideia.

“O que importa não é o nome, mas a visão, que é a mesma: trata-se de encontrar mecanismos que garantam a todas as pessoas uma vida digna de ser chamada de humana, uma vida que seja capaz de cultivar a virtude e forjar novos vínculos”, aponta.

Francisco sublinha que, no pensamento católico, é “impossível separar a promoção da justiça social do reconhecimento dos valores e da cultura do povo, incluindo os valores espirituais que são a fonte do seu sentido de dignidade”.

A mensagem aborda os efeitos da pandemia sobre o aumento da pobreza e da exclusão do mercado de trabalho, convidando a “construir um futuro a partir de baixo, a partir de uma política com o povo”.

OC

Partilhar:
Share