Justiça determinou apreensão de documentos e material informático do organismo responsável pela gestão da Basílica

Foto: Agência ECCLESIA/Arlindo Homem

Cidade do Vaticano, 30 jun 2020 (Ecclesia) – O Papa nomeou hoje um comissário extraordinário para investigar contas da Fábrica de São Pedro, organismo responsável pela gestão da Basílica, anunciou o Vaticano.

A escolha de Francisco recaiu sobre o núncio D. Mario Giordana, que deixou o serviço diplomático da Santa Sé em 2017, ao atingir a idade da reforma.

A 1 de junho, o Papa aprovou nova legislação para promover a “transparência, o controlo e a concorrência” nos contratos públicos relativos a entidades da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano.

Na sequência deste documento, explica hoje a Santa Sé, Francisco confiou a D. Mario Giordana a missão de “atualizar os estatutos” da Fábrica de São Pedro, procurando “tornar clara a administração e reorganizar os departamentos administrativo e técnico”, com a ajuda de uma comissão própria.

O Vaticano explica que uma denúncia do escritório do revisor geral – responsável por controlar os orçamentos e balanços dos diversos departamentos do Vaticano – levou a Justiça do Estado a apreender documentos e material informático nas instalações da Fábrica de São Pedro.

A operação – terceira do género desde outubro de 2019 – foi autorizada pelo promotor de Justiça do Tribunal, Gian Piero Milano, informando previamente a Secretaria de Estado do Vaticano.

Nos últimos anos, várias obras de investigação jornalística apontaram o dedo a responsáveis da Santa Sé por atos de má gestão, favorecimentos e adjudicações de contratos com sobrefaturação.

A Fábrica de São Pedro é responsável pela gestão da maior Igreja do mundo e pelas estruturas no território adjacente.

OC

Partilhar:
Share