Francisco recorda crianças em risco de morrer à fome

Cidade do Vaticano, 03 fev 2019 (Ecclesia) – O Papa manifestou hoje no Vaticano a sua “grande preocupação” com a crise no Iémen, alertando em particular para a situação extrema em que se encontram milhares de crianças, em risco de morrer à fome.

“Sigo com grande preocupação a crise humana no Iémen. A população está esgotada pelo longo conflito e muitíssimas crianças sofrem com fome, sem que se consiga aceder aos armazéns de alimentos”, declarou, desde a janela do apartamento pontifício.

A intervenção acontece a poucas horas da primeira viagem do Papa aos Emirados Árabes Unidos, onde vai participar em várias encontros inter-religiosos e com a comunidade católica na região.

Francisco disse que o “grito” das crianças com fome e dos seus pais se “eleva até Deus”.

Apelo a todas as partes envolvidas e à comunidade internacional que favoreçam, com urgência, o cumprimento dos acordos obtidos, assegurando a distribuição de alimentos e trabalhando pelo bem da população”.

O Papa convidou os presentes na Praça de São Pedro a rezar pela população do Iémen: “São crianças que têm fome, que têm sede, não têm medicamentos, estão em perigo de vida”.

Segundo o responsável dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas, cerca de 20 milhões de pessoas no Iémen enfrentam a fome e 250 mil vivem uma situação “catastrófica”.

O Governo local, apoiado militarmente pela Arábia Saudita, e os huthis, apoiados pelo Irão, acusam-se mutuamente de violar o cessar-fogo.

Francisco convidou os peregrinos a levar consigo esta intenção de oração e a rezar também por si próprio, por ocasião da sua viagem “breve, mas importante” aos Emirados.

Antes de seguir para o aeroporto, o Papa encontrou-se com um grupo de cristãos e muçulmanos do Médio Oriente que estão a ser assistidos em Roma pela Santa Sé e a comunidade de Santo Egídio.

OC

Partilhar:
Share