Francisco destaca serviço da irmã Luisa Dell’Orto às «crianças de rua», pedindo um futuro sem violência

Foto: Ricardo Perna/Família Cristã

Cidade do Vaticano, 26 jun 2022 (Ecclesia) – O Papa recordou hoje no Vaticano a missionária italiana Luisa Dell’Orto, assassinada este sábado na capital do Haiti, onde se encontrava há 20 anos, na sequência de um assalto.

Francisco destacou o trabalho da religiosa das Irmãzinhas do Evangelho de Carlos de Focauld ao serviço das “crianças de rua”.

“Confio a sua alma a Deus, e rezo pelo povo haitiano, especialmente pelos pequenos, para que possam ter um futuro mais sereno, sem miséria e sem violência”, referiu, após a recitação da oração do ângelus.

Segundo o portal de notícias do Vaticano, a missionária italiana faleceu no hospital Bernard Mevs, dois dias antes de completar 65 anos de idade e a notícia teve “um grande impacto” em Porto Príncipe.

Foto: Vatican Media

“Seur Luisa”, como era chamada, é evocada como “o pilar da Kay Chal”, um centro para centenas de crianças de um bairro pobre da periferia da capital haitiana.

Francisco prestou homenagem à religiosa, afirmando que fez da sua vida “um dom pelos outros, até ao martírio”.

Perante cerca de 20 mil pessoas reunidas na Praça de São Pedro, o Papa tinha falado na necessidade de rejeitar a tentação da “vingança” e de aprender com Jesus a ser “pessoas serenas, felizes com o bem realizado e que não buscam a aprovação humana”.

“Às vezes pensamos que nosso fervor se deve ao sentido de justiça por uma boa causa, mas na realidade na maioria das vezes não passa de orgulho, aliado à fraqueza, suscetibilidade e impaciência. Peçamos a Jesus a força de ser como Ele, de segui-lo com decisão firme, de não ser vingativos e intolerantes quando surgem dificuldades, quando nos gastamos em fazer o bem e os outros não entendem”, apelou.

OC

 

Partilhar:
Share