Foto: Vatican Media

Cidade do Vaticano, 13 mai 2022 (Ecclesia) – O Papa associou-se hoje a um simpósio sobre a figura de João Paulo I, pontífice 26 de agosto e 28 de setembro de 1978, elogiando o legado deixado pelo futuro beato.

“O pontificado de João Paulo I distinguiu-se pelo seu compromisso de fazer compreender certos elementos fundamentais para a missão: estar ao lado da dor dos nossos irmãos, a vontade de diálogo com o mundo, a busca da paz, a unidade dos cristãos, a colegialidade episcopal”, indicou Francisco, numa mensagem divulgada pelo Vaticano.

O simpósio, em Roma, teve como tema “Os seis ‘queremos’. O Magistério de João Paulo I à luz dos documentos de arquivo”, apontando à beatificação de Albino Luciani, que vai acontecer no próximo dia 4 de setembro, na Itália.

“Ao longo da sua vida, ele procurou constantemente e apontou a substância do Evangelho como a única e eterna verdade, para além de qualquer contingência histórica ou de moda. Homem sábio e humilde, dotado de boa cultura, soube falar de Deus com simplicidade evangélica, testemunhando a imagem de uma Igreja que não brilha com a sua própria luz, mas com luz refletida, que não vem dos homens, mas do Senhor”, escreve o Papa Francisco.

A 17 de fevereiro de 2020, o atual pontífice criou a Fundação João Paulo I, do Vaticano, com o objetivo de preservar o património dos escritos, promover o estudo e aumentar o conhecimento do legado e dos ensinamentos deste Papa.

O comité científico da Fundação, “através de um cuidadoso trabalho filológico, também sobre manuscritos inéditos”, publicou a primeira edição crítica dos textos e discursos escritos e proferidos por João Paulo I durante o seu pontificado, informa o portal de notícias do Vaticano.

OC

Partilhar:
Share