No final da Missa foi assinala da memória litúrgica de Nossa Senhora de Fátima no cântico de despedida

Cidade do Vaticano, 13 mai 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco rezou hoje para que estudantes e professores e pediu “coragem e êxito” e no final da Eucaristia foram entoadas duas estrofes do cântico ‘Ave-Maria’ na memória litúrgica de Nossa Senhora de Fátima.

“Rezemos hoje pelos estudantes, os jovens que estudam, e os professores que devem encontrar novas modalidades para seguir adiante no ensino: que o Senhor os ajude neste caminho, lhes dê coragem e também bom êxito”, disse o Papa no início da Missa.

Na capela da Casa de Santa Marta, a partir do Evangelho de hoje, Francisco explicou que ‘a vida cristã é permanecer’ em Jesus que usou a imagem da videira com os seus discípulos.

“E esse ‘permanecer’ não é um permanecer passivo, um adormentar-se no Senhor, esse talvez fosse um sono beatífico. É um ‘permanecer’ ativo e também é um ‘permanecer’ recíproco”, acrescentou, assinalando que Jesus disse ‘permanecei em mim e eu em vós’.

O Papa observou que este “’permanecer recíproco’ é um mistério de vida, um mistério belíssimo” porque os ramos sem a videira “não podem fazer nada” porque precisam da seiva para “crescer e para dar fruto” mas a videira também precisa dos ramos “porque os frutos não crescem na árvore, na videira”.

“É uma necessidade recíproca, é um permanecer recíproco para dar fruto. E esta é a vida cristã: A vida cristã é cumprir os mandamentos, é trilhar no caminho das Bem-Aventuranças, é levar adiante as obras de misericórdia, como o Senhor nos ensina no Evangelho”, desenvolveu.

Neste contexto, Francisco afirmou que “dar testemunho” de Jesus “porque a fé, o Evangelho cresce pelo testemunho” é a necessidade que Jesus tem de discípulos, como para “ter frutos” a videira tem necessidade dos ramos.

“Pensar e refletir sobre isto fará bem: Permanecer em Jesus para ter a seiva, a força, para ter a justificação, a gratuidade, para ter a fecundidade. E Ele permanece em nós para dar-nos a força do fruto, para dar-nos a força do testemunho com o qual a Igreja cresce”, explicou o Papa.

Francisco convidou a fazer a comunhão espiritual no final da Eucaristia que terminou com a entoação de duas estrofes do cântico ‘Ave-Maria’ na memória litúrgica de Nossa Senhora de Fátima.

Depois da Missa, o Papa deixou várias mensagens dedicadas à celebração do 13 de maio, na audiência-geral de quarta-feira, na biblioteca do Palácio Apostólico no Vaticano.

CB/OC

 

Partilhar:
Share