Carta de Francisco foi lida na Cova da Iria

Cidade do Vaticano, 13 mai 2020 (Ecclesia) – O Papa assinalou hoje a peregrinação do 13 de maio com uma carta dirigida ao Santuário de Fátima, no qual evoca as vítimas da pandemia de Covid-19, que levou ao encerramento do recinto.

“Peço-vos uma oração particular – enquanto vos asseguro a minha – pelas vítimas sem conta desta pandemia de Covid-19 e por todos os defuntos; a quantos se viram sozinhos na sua travessia para a eternidade, sei que a boa Mãe do Céu lhes fez companhia até Deus”, refere o texto.

“A Deus, Ela confia todos e cada um de vós, desde os zeladores do Santuário de Fátima, que hoje nos personificam e representam a todos aos pés de Nossa Senhora, à semelhança do apóstolo João no Calvário – «Mulher, eis o teu filho!» (Jo 19, 26) e, pela casa dentro, entrou-Lhe todo o mundo”, prosseguiu.

Francisco saúda os “queridos peregrinos de Fátima” e assinala as “circunstâncias” que este ano impede a “habitual a peregrinação até à Cova da Iria”, onde chegam espiritualmente “os doentes, pobres e abandonados, sem esquecer os profissionais e voluntários empenhados a servi-los”.

“Sei, porém, que aí vos encontrais igualmente, embora apenas de alma e coração. E a razão é simples! Um filho, uma filha não se pode ver longe da mãe e clama por ela; a confiança que lhe inspira é tal que basta a sua companhia para cessarem todos os medos e inquietações, abandonando-se a um sono tranquilo logo que se vê no regaço dela”, escreve.

Com estas minhas palavras, queria apenas tranquilizar-vos a respeito da companhia que vos faz a nossa Mãe do Céu. Hoje conseguimos, através apenas da alma e do coração, fazer a ligação à Virgem Maria; e somos limitados! Tão limitados, tão pequeninos que um inesperado vírus pôde facilmente transtornar tudo e todos…”.

O Papa apresenta Maria como exemplo de fé e de confiança em Deus.

“Hoje, gloriosa em corpo e alma, toda Ela é um coração materno ocupado e preocupado em restabelecer a sua ligação connosco e a nossa ligação com Deus”, acrescentou.

A mensagem pontifícia citou a aparição de 13 de junho de 1917: «O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus».

“Que o bom Deus vos abençoe e Nossa Senhora de Fátima vos guarde e proteja”, conclui Francisco.

Esta manhã, no Vaticano, o Papa deixou também várias mensagens dedicadas à celebração do 13 de maio, no Santuário de Fátima, com apelos à oração pela paz, a conversão e o fim da pandemia.

“Gostaria de aproximar-me, com o coração à Diocese de Fátima, ao Santuário de Nossa Senhora, hoje: saúdo os peregrinos que ali rezam, saúdo o cardeal-bispo, saúdo todos, todos unidos a Nossa Senhora, que nos acompanha neste caminho de conversão diária a Jesus. Que Deus vos abençoe”, disse, durante a audiência geral que decorreu na biblioteca do Palácio Apostólico, à porta fechada, com transmissão online.

Francisco saudou os ouvintes de língua portuguesa, neste dia 13 de maio, e encorajou todos “a conhecer e seguir o exemplo da Virgem Maria”.

“Para isso, procuremos viver este mês com uma oração diária mais intensa e fiel, em particular rezando o terço, como recomenda a Igreja, obedecendo a um desejo repetidamente expresso em Fátima por Nossa Senhora. Sob a sua proteção, os sofrimentos e as aflições da vida serão mais fáceis de suportar”, acrescentou o pontífice.

Aos fiéis da Itália, Francisco recordou o primeiro aniversário das aparições aos pequenos videntes de Fátima, convidando todos a “invocar a Virgem Maria, para que torne cada um perseverante no amor a Deus e ao próximo”.

Já na saudação aos ouvintes polacos, o Papa recordou as aparições de Fátima e o atentado do 13 de maio de 1981, na Praça de São Pedro, contra São João Paulo II, o qual “via a intervenção materna da Virgem Santa na salvação da sua vida”.

“Na nossa oração, peçamos a Deus, por meio do Coração Imaculado de Maria, a paz para o mundo, o fim da pandemia, o espírito da penitência e a nossa conversão”, acrescentou.

OC

Notícia atualizada às 12h12

O Papa anunciou que na próxima segunda-feira, 100.º aniversário do nascimento de São João Paulo II, vai presidir a uma Missa junto no altar do seu túmulo, na Basílica de São Pedro, com transmissão online para todo o mundo a partir das 07h00 de Roma (menos uma em Lisboa).

“Agradeçamos a Deus por ter dado este bispo a Roma, santo bispo, e peçamos-lhe que nos ajude, que ajude esta Igreja de Roma a converter-se e a ir em frente”, declarou.

Partilhar:
Share