Francisco deseja «um frutuoso caminho quaresmal» aos fiéis e turistas

Cidade do

Vaticano, 06 mar 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco desejou hoje “um frutuoso caminho quaresmal” na audiência pública de quarta-feira onde continuou a reflexão sobre a oração do Pai Nosso, afirmando que há muitos “sinais de um novo Reino” e “todos positivos”.

“Os sinais de vinda deste Reino são muitos e todos positivos”, afirmou o Papa ao refletir sobre sobre Pai Nosso, referindo-se hoje especificamente à frase ‘Venha a nós o vosso reino’, sublinhando que quando os cristãos o recitam significa: “Precisamos de Vós, em todos os lugares e para sempre, em meio de nós”.

Para Francisco, há sinais de que este mundo ainda está marcado pelo pecado e habitado por tanta gente que sofre, pessoas que não sabem reconciliar-se nem perdoar, guerras e exploração.

O Papa lembrou que Jesus inicia o seu ministério curando os doentes, “no corpo como no espírito”, aproximando-se dos que experimentam a “exclusão social”, como os leprosos, dos pecadores, “olhados com desprezo por todos”, e também daqueles que “eram os mais pecadores entre eles mas fingiam ser justos”.

“O Reino de Deus é certamente uma grande força, a maior que existe, mas não segundo os critérios deste mundo; por isso, nunca parece ter a maioria absoluta”, afirmou o Papa.

Francisco observou que o Reino de Deus é como o fermento na farinha, “não aparece muito, mas faz crescer a massa”, mesmo que se realize lentamente e seja “a maior força que existe”.

Neste contexto, convidou os fiéis e turistas a semear esta palavra – ‘Venha a nós o vosso Reino!’ – perante os pecados e tropeços, e a oferecer essa invocação “às pessoas vencidas e abatidas”, a quem experimentou na vida “mais ódio que amor, a quem viveu tantos dias inúteis sem entender porquê”.

“Vamos doá-la a quem lutou pela justiça, a todos os mártires da história, a quem combateu por nada. Escutaremos então a oração do Pai Nosso responder, repetindo pela enésima vez aquelas palavras de esperança do Espírito Santo: “Sim, eu venho em breve. Amém!””, desenvolveu.

No primeiro dia da Quaresma, Francisco dirigiu-se aos 10 mil peregrinos e turistas presentes na Praça de São Pedro para desejar um «um frutuoso caminho quaresmal».

“A vós e a todos os peregrinos de língua portuguesa, desejo um frutuoso caminho quaresmal que vos permita encontrar e seguir mais de perto Jesus, até poder dizer, com São Paulo, «já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim»”, disse Francisco, no final da sua intervenção, quando saudou os grupos de escolas de Bragança, Cabeceiras de Basto, Lourinhã, Oeiras e Viseu e os fiéis das paróquias de Moreira e Pouso Alegre.

Esta tarde, o Papa Francisco vai presidir à Eucaristia que marca o início da Quaresma com bênção e imposição das Cinzas, a partir das 17h30 (menos uma hora em Lisboa), na Basílica de Santa Sabina; Uma hora antes começa a ‘statio’, na igreja de Santo Anselmo, seguida de procissão penitencial.

Na mensagem para a Quaresma 2019, o Papa apelou aos católicos uma “conversão” na relação da humanidade com a natureza, levando a estilos de vida mais solidários e ecológicos.

A Quaresma, que começa com a celebração das Cinzas, é um tempo de 40 dias marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, um itinerário de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão, que em 2019 é celebrada dia 21 de abril.

CB/PR

Partilhar:
Share