Audiência geral deixa mensagem aos noivos e namorados, a partir da figura de São José

Foto: Lusa/EPA

Cidade do Vaticano, 01 dez 2021 (Ecclesia) – O Papa convidou hoje os católicos a preparar o Natal com atenção aos outros, particularmente os mais pobres.

“No início do tempo do Advento, pedimos ao Senhor, por intercessão paterna de São José, que permaneçamos sempre como sentinelas durante a noite, atentos para ver a luz de Cristo nos nossos irmãos mais pobres”, referiu, na audiência pública semanal que decorreu no Auditório Paulo VI.

Francisco aludiu ao novo tempo litúrgico que se vive na Igreja Católica desde o último domingo, o Advento, as quatro semanas de preparação para a celebração do nascimento de Jesus.

“Preparemo-nos para a vinda de Jesus, contemplando as figuras de Maria e de José, que viveram pelo bem dos outros”, disse.

O Papa desejou a todos “um fecundo caminho de Advento”, preparando-se para “acolher o Salvador do mundo, no nascimento do Menino Jesus”.

O tempo do Advento convida todos a preparar-se para o Natal, acolhendo sem medo Jesus Cristo, que vem para o meio de nós. Se lhe abrimos a porta da vida, tudo adquire uma nova luz e a família, o trabalho, a dor, a saúde, a amizade tornam-se tantas ocasiões para descobrir a sua presença consoladora, a presença do Emanuel, que significa Deus connosco, e testemunhar esta presença a outros”.

A catequese desta semana prosseguiu o ciclo de reflexões dedicado a São José, apresentado esta manhã como “homem justo e esposo de Maria”, exemplo de vida para os noivos e namorados cristãos.

Francisco começou por recordar os costumes matrimoniais do tempo de Jesus, em Israel, e a delicada situação em que São José se encontrou, ao descobrir a gravidez de Maria, sua noiva, destacando que muitas vezes a vida é “diferente” do que os casais imaginavam.

“Os noivos cristãos são chamados a testemunhar um amor assim, que tenha a coragem de passar da lógica do enamoramento a um amor maduro. Esta é uma escolha exigente que, em vez de aprisionar a vida, pode fortalecer o amor, para que seja duradouro perante as provações do tempo”, indicou.

O Papa sublinhou que as discussões entre casais, que existem “desde os tempos de Adão e Eva”, devem ser resolvidas com gestos de paz e de reconciliação, para evitar uma “guerra fria” de ressentimento.

A catequese encerrou-se com uma oração proposta por Francisco.

 

São José,

tu que amaste Maria com liberdade,

e escolheste renunciar ao teu imaginário para dar espaço à realidade,

ajuda cada um de nós a deixar-se surpreender por Deus

e a acolher a vida, não como um imprevisto do qual nos temos de defender,

mas como um mistério que esconde o segredo da verdadeira alegria.

Obtém para todos os noivos cristãos a alegria e a radicalidade,

mantendo, porém, sempre a consciência

de que somente a misericórdia e o perdão tornam possível o amor.

Amen.

No final do encontro, o Papa deixou uma saudação aos peregrinos de língua portuguesa, em particular ao grupo de enfermeiras, enfermeiros e outros profissionais de saúde em serviço no Centro de Vacinação de Braga, contra a Covid-19.

“Faço votos de que a visita de hoje ao túmulo de Pedro e este encontro com o seu sucessor vos infundam uma grande coragem para abraçardes diariamente a vossa cruz e um vivo anseio de santidade para poderdes encher de esperança a cruz dos outros. Confio nas vossas orações. Obrigado pela visita”, declarou.

OC

Partilhar:
Share