Intenção de oração para novembro convida católicos a «estar perto daqueles que estão esgotados»

Cidade do Vaticano, 03 nov 2021 (Ecclesia) – O Papa dedicou a sua intenção mensal de oração, divulgada hoje, às pessoas que sofrem de depressão, pedindo que os católicos estejam atentos a quem tem problemas de saúde mental.

“A sobrecarga de trabalho e o stress laboral, fazem com que muitas pessoas experimentem uma exaustão extrema, um esgotamento mental, emocional, afetivo e físico. A tristeza, a apatia e o cansaço espiritual acabam por dominar a vida das pessoas que estão sobrecarregadas com o ritmo de vida atual”, adverte Francisco, na edição de novembro de ‘O Vídeo do Papa’, divulgada pela sua Rede Mundial de Oração.

A mensagem sublinha a necessidade de estar perto daqueles que “estão esgotados, daqueles que estão desesperados, sem esperança, muitas vezes simplesmente escutando em silêncio.

Não podemos chegar e dizer a uma pessoa: ‘Não, a vida não é assim. Escuta, vou dar-te a receita’. Não existe receita”.

Francisco destaca a importância do “imprescindível acompanhamento psicológico, útil e eficaz”, acrescentando que “as palavras de Jesus também ajudam”.

“Vem-me à mente e ao coração: ‘Vinde a mim, todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos darei descanso’”, exemplifica.

O Papa convida a rezar, ao longo do mês de novembro, para que “as pessoas que sofrem de depressão ou de esgotamento extremo recebam o apoio de todos e recebam uma luz que as abra à vida”.

Esta edição contou com o apoio da Associação de Ministros Católicos de Saúde Mental, que dá apoio espiritual a pessoas com doenças mentais e incentiva ações de prevenção de qualquer tipo de discriminação.

A Rede Mundial de Oração do Papa, organismo confiado à Companhia de Jesus (Jesuítas), recorda, em comunicado, estimativas que apontam para que “uma em cada dez pessoas no mundo conviva com algum tipo de transtorno de saúde mental”, com destaque para a depressão (264 milhões de pessoas e a ansiedade (284 milhões).

A nota de imprensa alude ainda ao impacto da pandemia de Covid-19 na saúde mental e equilíbrio psicológico de muitas pessoas.

O padre Frédéric Fornos, diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa, destaca que “a pandemia agravou o sofrimento de muitos”.

“As nossas sociedades, o seu ritmo de vida, as suas tecnologias cada vez mais rápidas, favorecem a depressão e a síndrome de exaustão e estresse chamada ‘burnout’”, adverte.

OC

Saúde Mental: «Ainda há hospitais gerais sem Serviço de Psiquiatria», lamenta Vítor Cotovio

 

Partilhar:
Share